Covid-19: não vacinados não terão tratamento gratuito em Cingapura

A maioria das mortes e das contaminações ocorreu depois que 81% da população havia completado o ciclo de imunização
-Publicidade-
Cidadãos terão de se vacinar até 31 de dezembro
Cidadãos terão de se vacinar até 31 de dezembro | Foto: Adriano Ishibashi/FramePhoto/Estadão Conteúdo

O governo de Cingapura determinou que, quem tiver optado por não se vacinar contra a covid-19, terá de arcar com os custos de seu próprio tratamento médico para combater a doença. Anunciada nesta terça-feira, 9, a medida entrará em vigor em 8 de dezembro. Para manter o acesso à saúde gratuita, será preciso completar o esquema vacinal até 31 de dezembro. A regra não se aplica às pessoas não elegíveis para receber o imunizante.

De acordo com dados da Organização Mundial das Nações Unidas, Cingapura tem 6 milhões de habitantes. O monitoramento da pandemia feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS) revela que 218 mil habitantes se contaminaram com a doença até o momento; deles, 497 morreram.

-Publicidade-

Considerando as informações do site Our World In Data, vinculado à Universidade de Oxford, 83% dos habitantes do país já haviam completado o ciclo vacinal contra a doença em 1º de outubro. Ainda assim, 81% das mortes (401) e 56% das contaminações (101 mil) foram registradas pela OMS depois dessa data.

Leia mais: “A evolução da doença no Brasil e no mundo”, painel de Oeste sobre a pandemia

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.