Ditadura cubana autoriza abertura de 32 empresas privadas

Empreendimentos poderão contratar até 100 funcionários
-Publicidade-
Miguel Díaz-Canel é primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba
Miguel Díaz-Canel é primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba | Foto: Reprodução/Flickr

O Ministério da Economia de Cuba anunciou nesta quinta-feira, 30, a autorização para o funcionamento de 32 pequenas e médias empresas privadas no país. O comunicado ocorre nove dias depois da implantação da reforma econômica promovida pelo Partido Comunista.

As novas companhias provêm de 11 das 15 províncias do país. Ao todo, 13 empresas serão dedicadas à produção de alimentos. Outras seis atuarão no setor industrial, enquanto o restante se concentra em reciclagem e atividades tecnológicas.

Leia mais: “A verdade ressuscitada”, artigo de Augusto Nunes publicado na Edição 71 da Revista Oeste

-Publicidade-

De acordo com o Partido Comunista, os empreendimentos deverão ser constituídos como sociedades anônimas e poderão contratar até 100 funcionários. Linhas de crédito e fontes de financiamento também estarão disponíveis aos novos operadores privados.

“A medida autoriza a criação desses novos atores econômicos, que já podem proceder à sua constituição como pessoas jurídicas para exercer suas atividades econômicas”, informou o Ministério da Economia, em nota divulgada pela imprensa local.

Leia também: “Socialismo agoniza, e Cuba põe em prática reforma econômica”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. O bondoso Estado irá permitir que trinta e dois companheiros obtenham o favor de empreender. Isso é o cerne econômico do socialismo.
    O direito ao comércio é livre a todo cidadão e o monstro voraz chamado Estado não tem nada a ver com isso.
    Aqui no Brasil, é quase um crime empreender, atenuado pela cobrança de pesada carga tributária e pela imensa quantidade de exigências sobre o “criminoso” que ousar empreender.
    O modelo de revolução brasileiro é lento e gradual, sem que percebamos grandes diferenças, até o derradeiro bote da jararaca.

    1. Hipocrisia é Desvio de Caráter
      e ainda passar a impressão de liberdade econômica para os cúmplices de outros países saírem alardeando aos jumentóides – marketing a serviço do mal!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.