Donos da NBA investiram US$ 10 bilhões na China

Segundo relatório elaborado pela ESPN, os donos das equipes da liga de basquete mantêm fortes relações com Pequim
-Publicidade-
Os donos de times da NBA investiram US$ 10 bilhões na China
Os donos de times da NBA investiram US$ 10 bilhões na China | Foto: Reprodução

Proprietários de equipes da National Basketball Association (NBA), a principal liga de basquete dos Estados Unidos e Canadá, têm US$ 10 bilhões investidos na China, segundo relatório divulgado na quinta-feira 19 pela ESPN.

Sempre que é instada a falar sobre as mazelas do regime comunista, incluindo a repressão de minorias étnicas, a NBA evita se posicionar oficialmente. O levantamento da ESPN mostra o porquê disso: 40 donos de times da liga mantêm relações comerciais com os chineses. “A miríade de laços dos proprietários com a segunda maior economia do mundo deixa seus negócios vulneráveis”, diz o documento.

-Publicidade-

A ESPN encomendou a Strategy Risks, uma empresa que quantifica a exposição das empresas à China, e descobriu que há dois motivos principais para os proprietários de times da NBA manterem relações comerciais com Pequim. Primeiro, a China cresceu tanto que contribui significativamente para o valor de cada equipe. Segundo, muitos proprietários têm outros interesses financeiros na China, que transcendem o próprio esporte.

O proprietário do Brooklyn Nets, Joe Tsai, que também co-fundou a empresa chinesa de comércio eletrônico Alibaba, possui 53,5% de seu patrimônio líquido vinculado à China. Estima-se também que o co-proprietário do Sacramento Kings, Paul Jacobs, tenha mais de 30% de seu patrimônio líquido vinculado a Pequim. Jacobs, ex-CEO da Qualcoom, tem mais de US$ 200 milhões em ações da empresa de tecnologia, que obteve dois terços de sua receita anual total oriundos da China e de Hong Kong no ano passado.

O dono do Memphis Grizzlies, Robert Pera, tem uma fortuna de quase US$ 370 milhões vinculada à China por meio da Ubiquiti, fabricante de equipamentos sem fio da qual é fundador e acionista majoritário. O proprietário do Houston Rockets, Tilman Fertitta, tem uma exposição estimada em US$ 160 milhões por meio da Landry’s, uma rede de restaurantes que gera cerca de US$ 57 milhões anualmente na China. O proprietário do Charlotte Hornets e o ex-astro da NBA Michael Jordan também possui laços comerciais com a China.

Outros principais proprietários da NBA, como Joshua Harris, do Philadelphia 76ers, são fortemente ligados à economia chinesa por meio de seus investimentos em empresas de private equity (tipo de investimento em que um investidor aporta seu capital em empresas com potencial de crescimento, mas já estabelecidas no mercado) e venture capital (modelo de investimento especializado em pequenas empresas promissoras).

“À medida que o setor financeiros chinês se abriu cada vez mais ao investimento estrangeiro nos últimos anos, essas empresas estão se tornando mais expostas à China ao adquirir participações diretas ou indiretas em empresas chinesas”, disse a Strategy Risks.

Leia mais: “O jogo do gigante”, reportagem de Cristyan Costa publicada na Edição 58 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.