Dose de heparina capaz de evitar mortes por covid é quatro vezes maior que a recomendada pela OMS

Tratamento é indicado apenas para quem for internado e somente sob supervisão médica
-Publicidade-
Heparina | Foto: Vinzenz Lorenz/Pixabay
Heparina | Foto: Vinzenz Lorenz/Pixabay

O anticoagulante heparina reduz em 78% o risco de morrer por complicações da covid-19 se administrado em dose terapêutica assim que o paciente chega ao hospital com sinais de insuficiência respiratória, indica estudo publicado na quinta-feira 14 no Bristish Medical Journal.

Atualmente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda para esses casos apenas uma dose profilática do fármaco (indicada para prevenir trombose), que é quatro vezes menor que a dose terapêutica e não mostrou benefícios no ensaio clínico randomizado. A pesquisa envolveu 465 pacientes atendidos em 28 hospitais de seis países, entre eles o Brasil.

Leia mais: “Rússia testa vacina anticovid em forma de spray nasal”

-Publicidade-

“A gente acredita que esses resultados devem mudar a prática clínica”, disse à Agência Fapesp a médica Elnara Negri, coautora do artigo e integrante das equipes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e do Hospital Sírio-Libanês.

A pesquisadora ressalta, porém, que a recomendação não vale para todo mundo que for diagnosticado com a covid-19. “O tratamento é indicado apenas para quem for internado e somente sob supervisão médica. Se uma pessoa tomar anticoagulante sem necessidade ou orientação pode sangrar até morrer”, pontua.

Participaram do ensaio clínico pacientes de ambos os sexos, com idade média de 60 anos, que deram entrada no hospital com saturação de oxigênio igual ou inferior a 93%.

“Não vimos diferença expressiva em termos de necessidade de internação em UTI, de ventilação não invasiva ou de intubação. Mas o número de mortes foi significativamente menor no grupo que recebeu a dose terapêutica. E a ocorrência de sangramentos importantes, que foi o principal efeito adverso observado no estudo, foi muito baixa. Ou seja, a terapia é segura”, afirma a médica.

Os resultados evidenciam que, para trazer benefícios, a heparina deve ser administrada entre o sétimo e o décimo quarto dia após o início dos sintomas. Estudos anteriores já haviam mostrado que a anticoagulação não traz resultados importantes quando é feita após a internação em UTI.

A médica destaca que os benefícios nessa fase da doença foram observados apenas com o uso de heparina injetável. Anticoagulantes ministrados por via oral não surtiram efeito. “Isso possivelmente se deve ao fato de esse fármaco também ter efeitos antivirais e anti-inflamatórios já confirmados no contexto da covid-19. A boa notícia é que se trata de uma droga barata e disponível no SUS.”

Com informações de Karina Toledo/Agência Fapesp

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.