Embaixada dos EUA em Cuba vai retomar emissão de vistos

Serviço vai facilitar migração de cubanos, que, em meio à crise, entram aos milhares ilegalmente em solo norte-americano
-Publicidade-
Serviços vão facilitar migração de cubanos
Serviços vão facilitar migração de cubanos | Foto: Reprodução/TRT

A Embaixada dos Estados Unidos em Havana anunciou que vai retomar completamente os serviços de vistos para imigrantes em Cuba, o que deverá facilitar a ida de cubanos para o território norte-americano. Os serviços em Cuba estavam suspensos desde 2017, e os cubanos precisavam ir à Guiana para fazer uma entrevista necessária à aprovação do visto. A medida, integrante do programa Cuban Family Reunification Parole, passa a valer a partir do início de 2023.

Além disso, com a retomada do programa, criado em 2007, cidadãos norte-americanos poderão solicitar permissão de entrada para seus familiares em menos tempo do que por meio do processamento regular de visto de imigrante. Para isso, o órgão irá aumentar o quadro de funcionários trabalhando no local, conforme nota divulgada na quarta-feira 21.

Cuba está em uma das piores crises econômicas de sua história e um grande número de cubanos tenta sair do país e chegar até a fronteira norte-americana. Quase 198 mil cubanos entraram de maneira irregular nos Estados Unidos entre outubro de 2021 e agosto deste ano, a maioria por terra, de acordo com a agência de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos.

-Publicidade-

“Esses esforços são um passo fundamental para cumprir o compromisso dos EUA sob os Acordos de Migração EUA–Cuba, para garantir que a migração legal total para os Estados Unidos de Cuba seja de um mínimo de 20 mil cubanos por ano, sem incluir parentes imediatos de cidadãos dos EUA”, informa a nota.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Lula tem acenado com várias propostas de cunho esquerdista radical em 2022, tais como revisão de privatizações, descontrole de gastos públicos, aumento de impostos volta da CPMF, libertação de bandidos, apoio financeiro a Cuba e Venezuela, perseguição a membros da Operação Lava Jato e partidos de oposição (direita), banimento de jornais e emissoras de oposição e maior abertura da economia brasileira ao capital chinês, inclusive à colaboração militar.

    Em termos geopolíticos, Lula presidente afasta o Brasil dos EUA e nos aproxima da China e da Rússia, que têm interesse em colocar mais bases militares na América do Sul, Atlântico Sul e Pacífico.

    Lula não pode ser eleito e, caso seja eleito, deve-se providenciar alguma maneira de impedi-lo de assumir.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.