Especialistas franceses testam antipsicótico no combate ao coronavírus

De acordo com pesquisadores, a medicação poderia agir inibindo a entrada do vírus nas células
-Publicidade-

De acordo com pesquisadores, a medicação poderia agir inibindo a entrada do vírus nas células

Foto: Pxhere
-Publicidade-

O efeito antiviral da clorpromazina está sendo testado por pesquisadores do grupo hospitalar universitário Paris Psiquiatria e Neurociências, na França, de acordo com um comunicado publicado na última segunda-feira, 4. O medicamento é utilizado há décadas no tratamento de esquizofrenia e de doença bipolar.

O estudo inédito, chamado reCovery, está sendo feito em parceria com o instituto francês Pasteur. De acordo com o comunicado divulgado pelo hospital, os pacientes tratados com o fármaco apresentaram poucos sintomas graves da covid-19, mesmo tendo fatores de risco como obesidade ou doenças cardiovasculares.

A clorpromazina poderia agir inibindo a entrada do vírus nas células. A ação se mostra eficaz em estágios precoces e mais avançados da infecção.

Segundo o hospital, o mesmo fenômeno foi constatado em hospitais em outros países como China, Itália e Espanha.

O uso do medicamento é uma “pista interessante que precisa ser confirmada no homem”, explicou a psiquiatra Marion Praze. O remédio é o primeiro antipsicótico da história médica e também é usado em anestesia e obstetrícia. A psiquiatra coordena o estudo para testar no homem as propriedades antivirais da substância.

“Conhecíamos várias pesquisas elaboradas desde os anos 80 sobre as propriedades antivirais de diversos tratamentos utilizados em psiquiatria”, explicou a especialista.

“Mergulhamos na literatura e descobrimos três artigos publicados em 2014 e 2018. Eles mostram que um antipsicótico, a clorpromazina, já havia demonstrado sua eficácia no combate a outros tipos de coronavírus, como nas epidemias de 2002 e 2012”, declarou Marion.

A psiquiatra e sua equipe procuraram então o instituto Pasteur para iniciar o estudo, e os resultados mostraram que a clorpromazina era eficaz contra a covid-19. Os testes foram feitos em células de animais e humanas, o que é inédito.

A próxima etapa agora é testar o remédio em 40 pacientes e depois validar os resultados em um número maior de pessoas, de acordo com a Rádio França Internacional.

Segundo a psiquiatra, a clorpromazina poderia ser administrada durante algumas semanas aos pacientes hospitalizados para diminuir os sintomas graves da doença.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Teoria interessante. Talvez já descobriram que esse vírus chinês seja psicopata e com esse antipsicótico o faça ficar menos agressivo. Meu Deus! Onde iremos parar…

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site