Estado norte-americano promulga lei que dificulta o aborto

O governador do Arkansas, Asa Hutchinson, diz ter convicção sincera contra a interrupção forçada da gravidez
-Publicidade-
O movimento pró-vida tem crescido nos Estados Unidos
O movimento pró-vida tem crescido nos Estados Unidos | Foto: Reprodução/Twitter

O Estado do Arkansas aprovou ontem, terça-feira 9, uma lei que proíbe o aborto mesmo em casos de estupro ou incesto, com a esperança de pressionar a Suprema Corte norte-americana a revogar a decisão de 1973 que estendeu esse direito a todo o país. A única exceção prevista no texto promulgado no Estado é “salvar a vida da mãe durante uma emergência médica”, anunciou seu governador, Asa Hutchinson. Ele declarou ter ratificado a lei seguindo suas “convicções sinceras” contra o aborto.  O texto não deve entrar em vigor antes do verão, e a União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU) anunciou que irá impugná-lo na Justiça. Nos últimos 20 anos, os Estados do centro e sul do país aumentaram o número de leis restritivas sobre o aborto, obrigando muitas clínicas a fechar as portas.

Leia também: “Médicos se negam a fazer o aborto na Argentina”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site