EUA anunciam sanções contra Belarus e setor de defesa russo

Sanções vêm sendo adotadas desde o início da invasão à Ucrânia, ordenada pelo presidente russo, Vladimir Putin
-Publicidade-
Secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e presidente dos Estados Unidos, Joe Biden | Foto: Adam Schultz/White House
Secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e presidente dos Estados Unidos, Joe Biden | Foto: Adam Schultz/White House

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, anunciou nesta quarta-feira, 2, uma nova rodada de sanções à Rússia, visando 22 “entidades relacionadas à defesa” do país.

Segundo ele, a lista inclui “empresas que fabricam aeronaves de combate, veículos de combate de infantaria, mísseis, veículos aéreos não tripulados e sistemas de guerra eletrônica”.

-Publicidade-

Ele destacou tratar-se dos “mesmos sistemas que estão sendo usados ​​para atacar o povo ucraniano, abusar dos direitos humanos, violar o direito internacional humanitário”.

Blinken também anunciou controles de exportação a Belarus para responsabilizar o governo do país por também ter responsabilidades na guerra desencadeada pelo presidente russo, Vladimir Putin.

“Vamos sufocar a capacidade de Belarus de importar tecnologias-chave”, disse Blinken. “E se o apoio de Lukashenko à guerra continuar, as consequências para seu regime aumentarão.”

Moscou e Minsk estão intimamente ligadas, e o território bielorrusso foi fundamental para a mobilização das forças russas para invadir a Ucrânia.

O secretário de Estado de Biden afirmou ainda que a Casa Branca continua aberta à diplomacia com a Rússia para acabar com a guerra na Ucrânia, mas disse que não há caminho, a menos que o Kremlin retire suas forças.

“É claro que continuamos abertos a buscar qualquer caminho razoável, mas é muito difícil ver qualquer caminho quando as bombas estão caindo, os aviões estão voando e os tanques estão rolando”, disse.

Também nesta quarta-feira, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, declarou que está aberto a proibir a importação de petróleo russo. A finalidade seria penalizar Moscou pelos ataques à Ucrânia. O conflito chegou ao sétimo dia.

“Nada está fora da mesa”, disse o democrata, em uma coletiva de imprensa, no gramado da Casa Branca, ao partir para uma viagem a Wisconsin. Durante um discurso no Congresso, Biden prometera “mais sanções” contra a Rússia.

Biden anunciou ontem o fechamento do espaço aéreo do país para aviões russos. As medidas se somaram a outras sanções da Casa Branca contra instituições financeiras russas, empresas e elites do país.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.