EUA correm contra o tempo para achar caça que caiu no mar da China

O F-35C é o jato mais novo da Marinha americana e está repleto de equipamentos secretos
-Publicidade-
Um F-35C taxiando no Carl Vinson durante navegações no Mar das Filipinas em janeiro deste ano
Um F-35C taxiando no Carl Vinson durante navegações no Mar das Filipinas em janeiro deste ano | Foto: Divulgação/US Navy

Os Estados Unidos correm contra o tempo para encontrar no fundo do oceano o caça F-35C. A Marinha espera localizar o avião antes que os chineses.

O F-35C, avaliado em US$ 100 milhões (R$ 540 milhões), caiu no Mar da China Meridional depois de um “acidente”, ao tentar pousar no porta-aviões USS Carl Vinson, na segunda-feira 24.

Sete marinheiros ficaram feridos quando o jato caiu e atingiu o convés do porta-aviões durante um exercício militar.

-Publicidade-

O F-35C É o jato mais novo da Marinha americana e está repleto de equipamentos secretos.

O caça é a primeira aeronave “baixo-observável” que permite operar sem ser detectado no espaço aéreo inimigo. Tem o motor mais poderoso do mundo e pode atingir quase dois mil quilômetros por hora. O F-35C ainda consegue transportar até dois mísseis em suas asas e quatro dentro.

O especialista em segurança nacional Abi Austen afirmou nesta sexta-feira, 28, ao site de notícias BBC, que os militares chineses estariam “bastante interessados” em chegar ao caça. Como está em águas internacionais, quem chegar primeiro, “leva”.

“É de vital importância que os Estados Unidos peguem o caça de volta”, disse o consultor.

“O F-35 é basicamente como um computador que voa. Foi projetado para conectar outros meios — o que a Força Aérea chama de ‘ligar sensores a atiradores'”, completou.

Ainda segundo Austen, a China não tem essa tecnologia, então colocar as mãos no F-35 seria um grande salto.

China nega interesse no caça F-35C

A China reivindica quase todo o Mar da China Meridional e tem tomado cada vez mais medidas para fazer valer esta reivindicação, se recusando a reconhecer uma decisão de um tribunal internacional de 2016 que diz não haver base legal.

Na quinta-feira 27 o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, negou que Pequim esteja atrás do F-35. “Não temos interesse em suas aeronaves”, garantiu.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

11 comentários Ver comentários

  1. Ninguém está correndo para recuperar nada. O F-35 caiu próximo ao navio aeródromo ficou boiando e foi rapidamente recuperado e felizmente o piloto está bem. Até já existem fotos mostrando o caça boiando no mar. Reportagem mal feita e sensacionalista.

  2. Jesus Cristo, o que o governo Biden tem a ver com um acidente do outro lado do globo? Que eu saiba o Biden não diminuiu o orçamento militar, única coisa que ele poderia ser responsabilizado era se ocorresse isso, pois isso impediria treinamentos e com certeza os erros aumentariam.
    Na própria matéria diz que era um exercício militar, ou seja, um treinamento.

  3. Quem procura acha…kkkkkk. Nunca vi tanta incompetencia junta num só navio, arre égua! A torcida está a favor dos amarelos, para deixarem de ser idiotas, seus babacas.

    1. Nunca viu tamanha “incompetência” pq não acompanha assuntos militares. No seu trabalho sai tudo perfeito?
      Se procurar em sites especializados vai ver que acidentes são comuns e todas as grandes forças, só cai quem voa.

  4. Titio bidê, p a r a b é n s 👏 🤦🏻‍♀️ enquanto isso a Kavala (vice) está em Honduras parabenizando a nova presidenta de extrema esquerda e ligada ao narco …

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.