EUA: jogadores da seleção masculina e feminina vão receber salários iguais

Decisão foi divulgada pela Federação de Futebol dos EUA
-Publicidade-
Jogadoras da Seleção de futebol feminina dos EUA comemorando uma partida de futebol | Foto: Reprodução/Redes Sociais
Jogadoras da Seleção de futebol feminina dos EUA comemorando uma partida de futebol | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Pela primeira vez, os jogadores da seleção de futebol masculina e feminina dos EUA receberão salários iguais. Divulgada na quarta-feira 18 pela Federação de Futebol dos EUA (USSF, na sigla em inglês), a decisão inclui o recebimento de prêmios em dinheiro, como ocorre na Copa do Mundo.

Em linhas gerais, trata-se de um acordo coletivo de trabalho, até 2028, entre a Associação de Jogadores da Seleção Feminina dos EUA, a Associação de Jogadores da Seleção Nacional Masculina dos EUA e a USSF.

A partir de agora, os EUA se tornam a primeira nação a juntar o prêmio, em dinheiro, da Copa do Mundo da FIFA para compartilhar igualmente entre as equipes masculina e feminina.

-Publicidade-

Uma parte dos lucros comerciais — como TV e patrocínio — também será compartilhada com as jogadoras. De acordo com a USSF, a ação de dividir os lucros comerciais vai incentivar os jogadores a trabalharem juntos para o crescimento do esporte.

Prêmios da Copa do Mundo

Todos os valores recebidos serão agrupados a fim de serem distribuídos igualmente entre a seleção masculina e feminina. Esse acordo exigiu que a seleção masculina compartilhasse seus ganhos na Copa, uma vez que os prêmios são bem maiores para os homens.

Segundo a FIFA, esses eram os valores pagos às seleções masculina (2018) e feminina (2019):

  • 1° lugar: homens recebiam US$ 38 milhões | Mulheres US$ 4 milhões;
  • 2° lugar: homens recebiam US$ 28 milhões | Mulheres US$ 2,6 milhões;
  • 3° lugar: homens recebiam US$ 24 milhões | Mulheres US$ 2 milhões;
  • 4° lugar: homens recebiam US$  22 milhões | Mulheres US$ 1,6 milhão;
  • Quartas de final: homens recebiam US$  16 milhões | Mulheres US$ 1,45 milhão;

A primeira Copa do Mundo Feminina a entregar prêmios em dinheiro só ocorreu em 2007.

Igualdade

O novo acordo de trabalho aborda outras formas de compensação:

  • Em partidas amistosas, as duas seleções receberão bônus de elenco de time;
  • Além da Copa do Mundo, nas outras partidas competitivas, as duas equipes ganharam bônus de partida iguais;
  • Assim como a seleção masculina, a seleção feminina vai ter planos de aposentadoria e um fundo para beneficiar as ex-jogadoras;
  • Os homens vão ter direito a benefícios de creche — para os dias de treinos e jogos —, um direito que a seleção feminina já desfrutava.

A reivindicação por salariais iguais na seleção feminina começou em 2016 quando a Comissão de Oportunidades Iguais de Emprego registrou uma queixa por discriminação salarial. A causa foi liderada pelas jogadoras Hope Solo, Carli Lloyd, Becky Sauerbrunn, Alex Morgan e Megan Rapinoe.

Nas redes sociais, a Associação de Jogadoras da Seleção Feminina comemorou o novo acordo.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.