EUA procuram alternativas ao gás russo, informa Casa Branca

Norte-americanos trabalham para identificar volumes adicionais do insumo na África, Ásia e Oriente Médio
-Publicidade-
Jen Psaki é porta-voz da Casa Branca
Jen Psaki é porta-voz da Casa Branca | Foto: Reprodução/Flickr

Os Estados Unidos procuram alternativas ao gás russo, informou, nesta terça-feira, 25, a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki. O país está preocupando com uma eventual interrupção do fornecimento do gás que passa pela Ucrânia.

“Estamos trabalhando para identificar volumes adicionais de gás natural não russo na África, Ásia e Oriente Médio”, disse Psaki. “Vamos discutir com os principais produtores de gás natural em todo o mundo para entender a capacidade e a vontade de aumentar temporariamente a produção do insumo, de modo a destinar esses volumes a compradores europeus.”

A porta-voz assegurou aos consumidores norte-americanos, no entanto, que qualquer possível interrupção do fornecimento do gás russo à Europa causaria um mínimo impacto no país.

-Publicidade-

De acordo com o portal SputnikNews, o gás natural russo responde por aproximadamente 40% do consumo na Europa. Na Alemanha, potência econômica e industrial da região, quase metade do gás importado é oriundo da Rússia. O novo gasoduto Nord Stream 2 possui capacidade de fornecer cerca de 55 bilhões de metros cúbicos por ano.

Crise energética global

A Europa enfrenta uma crise de energia, e a Rússia limita a oferta do gás natural justamente na chegada dos dois meses mais frios do inverno. Diversas usinas nucleares estão paralisadas para reparos e manutenção na França, o que fez aumentar a demanda pelo insumo.

Aproximadamente um terço do gás russo que flui para a Europa atravessa a Ucrânia. Qualquer interrupção no abastecimento, como ocorreu durante os episódios da disputa de preços em 2006 e 2009, pode fazer com que a escassez de energia se torne uma crise generalizada.

Em reportagem publicada na Edição 83 da Revista Oeste, Luis Kawaguti escreve sobre a crise energética global. “Na União Europeia, a escassez de gás fez as contas de luz triplicarem”, informou. “Na China, a alta nos preços do carvão tem gerado apagões e redução da produção industrial. Nos Estados Unidos, o valor da gasolina disparou devido a uma alta do petróleo.”

Clique aqui para ler a reportagem completa.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Aos militantes do Meio Ambiente tenho a resposta: -Ensaquem o PUM das VACAS, assim a fabula das VACAS FLATULENTAS destruirem o ozonio vai tá resolvido de forma sustentavel.

    1. Altair, para ensacar o Pum das Vacas os Ecochatos e os Eco-Globalistas vão usar a tecnologia da ESTOCAGEM DE VENTO, desenvolvida pelas cientistas DILMA Thumberg e GRETA Roussef.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.