-Publicidade-

Parler vai à Justiça dos EUA contra a Amazon

Gigante da internet derrubou a rede social de seus servidores
"Milhões de norte-americanos cumpridores da lei tiveram sua voz silenciada"
"Milhões de norte-americanos cumpridores da lei tiveram sua voz silenciada" | Foto: Divulgação

A decisão unilateral adotada pela Amazon contra a rede social Parler virou caso para a Justiça dos Estados Unidos. Após sair do ar em todo o mundo virtual porque o gigante da internet a excluiu de seus servidores, a plataforma on-line acionou o tribunal de Seattle, no Estado norte-americano de Washington, informa a agência de notícias Reuters.

Leia mais: “Snapchat é mais uma empresa a censurar Trump”

Em audiência, a defesa da rede social rechaçou a afirmação da Amazon de que teria ignorado pedidos para remoção de conteúdos considerados — pela avaliação da própria Amazon — meios de incitar a invasão ocorrida no Capitólio na última semana. “Não há nenhuma evidência de que o Parler estivesse envolvido no incitamento dos motins”, afirmou o advogado David Groesbeck à juíza Barbara Rothstein.

“Milhões de norte-americanos cumpridores da lei tiveram sua voz silenciada”

Na parte jurídica, o Parler garante que a Amazon Web Services, braço da companhia que oferece serviço de hospedagem de domínios na internet, não tem o poder contratual de tirar a rede social do ar sem maiores explicações. Com isso, o advogado da rede social sugeriu a prática de censura política por parte de sua então fornecedora. “Milhões de norte-americanos cumpridores da lei tiveram sua voz silenciada”, lamentou Groesbeck.

Por ora, não há uma definição a respeito de a Amazon ser obrigada ou não a reativar o Parler em seus servidores.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

10 comentários

  1. Cada vez mais fica claro que tudo isso não passa de mais uma nova investida do Crime Organizado Mundial, quer sob a designação de Máfia, Comunismo, Socialismo, Nova Ordem Mundial, Reset, …., coordenada por indivíduos bilionários e algumas nações tradicionalmente colonizadoras, cuja noção de distância do absurdo e da crueldade se perdeu em suas respectivas melomaníacas e desajustadas psiques!
    Compete ao povo de bem, não idiotizado, cerrar fileiras a fim de reequilibrar o sistema!

  2. A Revista Oeste indevidamente impede meu comentário, embora sem palavrões e agressões.
    Lamentável; e ainda por cima sob matéria de crítica à censura!!!
    Por vezes imagino que os mecanismos de censura foram feitos pelo pessoal mais limitado e/ou tendencioso que a Revista Oeste consegui contratar!

    1. Muito ruim isto ! Começam mal pois neste momento o leitor procura veículos de comunicação que possa se exercitar exatamente este direito.
      Já não irei ler mais.

      1. curioso que as pessoas hoje tomem atitudes atraves de hashtags sem se preocupar em investigar a verdade dos fatos , a prova esta ai um biologo desqualificado falando como doutor e milhares de pessoas acreditando. A esquerda adora implantar a tatica do blitzkrig nazista, só que em forma eletronica. Plantam pessoas que seguem suas determinações para minar o inimigo se fazendo passar por ele.

      2. Exato Patricia, já escrevi mais de uma vez submetendo o texto que pretendia pautar para que indicassem o motivo da censura, e isso com a intenção apenas de continuar comentando.
        No entanto não recebo qualquer feedback, espero que seja algum erro do algoritmo utilizado para impedir excessos (palavrões ), e não para restringir ideais!

      3. A nação da Liberdade passando por censura igual a do PCC-CHINÊS, quem conhece a China sabe que lá tudo é vigiado. Só nos resta clamar por resistência, muita RESISTÊNCIA!

  3. Muito ruim isto ! Começam mal pois neste momento o leitor procura veículos de comunicação que possa se exercitar exatamente este direito.
    Já não irei ler mais.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês