-Publicidade-

Senado dos EUA aprova constitucionalidade do processo de ‘impeachment’ contra Trump

Decisão contou com apoio de seis membros do Partido Republicano, legenda do ex-presidente
O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump
O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump | Foto: Reprodução/YouTube

O Senado dos Estados Unidos definiu como constitucional o processo de impeachment contra o ex-presidente norte-americano Donald Trump. Na votação realizada desta terça-feira, 9, 56 dos 100 senadores colocaram-se favoráveis ao prosseguimento da ação relacionada à alegação de “incitação à insurreição” por parte do antigo ocupante da Casa Branca no caso que culminou na invasão ao Capitólio, no início de janeiro.

Leia mais: “Biden reverte política migratória de Trump”

A votação mais uma vez marcou o levante do Partido Democrata contra o antecessor de Joe Biden. Na legenda, o tema foi analisado de forma unânime. Todos os 48 senadores democratas votaram pelo prosseguimento do processo de impedimento. O mesmo ocorreu com os dois congressistas tidos como independentes.

Maioria numérica no Senado dos Estados Unidos, o Partido Republicano contou com dissidências. A maioria absoluta votou em favor do ex-presidente da República e colega de partido. Dos 50 republicanos na Casa legislativa, 44 aceitaram os argumentos dos advogados de Trump e votaram pela inconstitucionalidade do processo de impeachment — isso porque, ao deixar a Casa Branca, ele tornou-se um cidadão comum aos olhos da lei. Os outros seis senadores republicanos, no entanto, votaram como os democratas: foram de “sim” ao prosseguimento da ação de impedimento, o que, na prática, poderá vetar futuras candidaturas de Trump.

Os dissidentes

Susan Collins, Lisa Murkowski, Mitt Romney, Ben Sasse, Patrick J. Toomey e Bill Cassidy foram os seis republicanos contra Trump. Eles representam, respectivamente, os Estados norte-americanos de Maine, Alasca, Utah, Nebrasca, Pensilvânia e Loiusiana, conforme informa o jornal The New York Times.

Divisão do país

Advogado contratado por Donald Trump na última semana, David Schoen afirmou que o prosseguimento do processo de impeachment contra o seu cliente não trará nenhum benefício para os Estados Unidos. Pelo contrário, avaliou. De acordo com ele, o caso só amplificará o que surgiu nas urnas em novembro: um país dividido.

“Irá separar este país, talvez como só vimos uma vez antes em nossa história”

“Este julgamento irá separar este país, talvez como só vimos uma vez antes em nossa história”, disse Schoen no plenário do Senado. Para o advogado, o tema só está em análise no Congresso norte-americano por mera “questão política”. “Está errado, como poderá ser errado para todos nós como nação”, lamentou o responsável pela defesa do ex-presidente dos Estados Unidos.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês