Gigante farmacêutico vai ajudar na produção de vacina da Janssen

Empresa teria condições de dobrar capacidade atual de produção do imunizante
-Publicidade-
Johnson & Johnson vem enfrentando problemas na distribuição da vacina
Johnson & Johnson vem enfrentando problemas na distribuição da vacina | Foto: Saulo Angelo/Estadão Conteúdo

O laboratório americano Merck vai ajudar na produção da vacina da Janssen contra a covid-19. A informação é da Associated Press e foi confirmada por um integrante do governo de Joe Biden nos Estados Unidos. O anúncio oficial deve ser feito a qualquer momento.

Aprovado no sábado 27 para uso emergencial no país pela Food and Drug Administration (FDA), a agência de regulação de medicamentos dos EUA, o imunizante teve eficácia global ao redor de 70% envolvendo casos sintomáticos da covid-19.

-Publicidade-

A vacina da Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, é administrada em uma única dose. A empresa vem enfrentando problemas na distribuição do produto: inicialmente, haviam sido prometidos12 milhões de doses assim que o imunizante fosse liberado, mas o total disponibilizado no primeiro momento foi de 4 milhões.

Leia mais: “Vacina da Johnson & Johnson anuncia eficácia geral de 66%”

Apesar dos percalços, a Johnson & Johnson estima que entregará 100 milhões de doses da vacina até junho deste ano. A expectativa é que 20 milhões de doses estejam disponíveis ainda neste mês de março.

A Merck, por sua vez, vinha trabalhando com a possibilidade de produzir sua própria vacina contra a covid-19, mas o desenvolvimento foi suspenso em janeiro depois de não alcançar bons resultados.

O plano agora é que duas fábricas da Merck nos EUA sejam utilizadas para a produção do imunizante da Janssen, desde os processos de envase, rotulagem e embalagem até a produção propriamente dita.

Ainda de acordo com informações de membros do Comitê de Saúde da Casa Branca, a empresa teria condições de dobrar a capacidade de produção da fábrica da Johnson & Johnson.

Em dezembro do ano passado, as vacinas da Pfizer/BioNTech e da Moderna foram aprovadas para uso emergencial pelo FDA. Com a aprovação da vacina da Janssen, o país deve contar com um total de 100 milhões de doses do imunizante contra a covid-19.

Leia também: “A vacina e o vexame”, reportagem de Paula Leal publicada na edição 44 da Revista Oeste.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.