-Publicidade-

Grupo terrorista islâmico recomenda ingestão de mel para cura da covid-19

Segundo o Escritório de Política Harakat al-Shabaab al-Mujahideen, apenas os remédios prescritos no Alcorão podem curar os enfermos
Se depender de radicais islâmicos, o mel será usado no combate à covid-19
Se depender de radicais islâmicos, o mel será usado no combate à covid-19 | Foto: Reprodução/Mídias Sociais

O Escritório de Política Harakat al-Shabaab al-Mujahideen, filial da Al-Qaeda na Somália, recomendou aos muçulmanos do país que não tomem o imunizante contra a covid-19 produzido pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca. “Alertamos os muçulmanos contra o uso da vacina AstraZeneca, já que seus danos superam em muito seus supostos benefícios”, advertiu. Segundo a organização, os fieis da religião islâmica devem aderir aos “medicamentos” prescritos no Alcorão, como a semente preta e o mel, para que consigam curar-se do vírus chinês. “E o teu Senhor inspirou a abelha, dizendo: ‘Tomai para ti habitações nas montanhas e nas árvores e no que elas erigem. Depois, come de todas as frutas e segue os caminhos do teu Senhor facilitados (para ti)’. De suas barrigas sai uma bebida de várias cores, que cura a humanidade. Na verdade, isso é de fato um sinal para as pessoas que pensam”, cita um trecho do livro sagrado do Islã. Conforme avalia o jornalista Leonardo Coutinho, o al-Shabaab não recomenda o uso da vacina da Oxford/AstraZeneca por considerá-la insegura. Entretanto, o grupo não faz admoestações acerca do uso de coletes e cinturões com explosivos, que seguem liberados para os radicais religiosos.

Leia também: “Uma bomba para o aiatolá”, artigo de Dagomir Marquezi publicado na Edição 50 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.