Homem que invadiu Capitólio usando pele de urso pega mais de 3 anos de prisão

Manifestante integrava grupo que tentava impedir a certificação do presidente Joe Biden pelo Congresso
-Publicidade-
Manifestante vestido com roupas alusivas à seita QAnon
Manifestante vestido com roupas alusivas à seita QAnon | Wikimedia Commons

O homem que invadiu o Capitólio americano usando roupas de pele de urso, um chapéu com chifres e uma lança com a bandeira americana em um protesto pró-Donald Trump em 6 de janeiro foi condenado a mais de três anos de prisão.

Jacob Anthony Chansley, de 34 anos, estava entre centenas de apoiadores de Trump que tentavam impedir o Congresso de certificar a eleição do democrata Joe Biden. A ação deixou ao menos quatro mortos.

Na época Chansley se autodenominava o “Xamã QAnon”, membro de uma seita que alegava lutar contra uma conspiração secreta contrária a Trump. Ele participava do protesto, mas não teve relação com as mortes. Seu advogado depois afirmou que ele sofria de problemas mentais e renegou a seita.

-Publicidade-

Mesmo assim, Chansley pegou 41 meses de prisão e depois terá de cumprir 36 meses de liberdade condicional — além de pagar uma multa de US$ 100 (R$ 552).

Um brasileiro também havia sido condenado por participar do mesmo protesto.

Leia também: “Justiça dos EUA suspende divulgação de documentos sobre ataque ao Capitólio”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.