Iraque proíbe que agência de notícias Reuters  opere no país

Em uma reportagem, a agência acusa o governo iraquiano de não divulgar o número correto de casos do coronavírus no país.
-Publicidade-
Bandeira do Iraque
Foto: jorono/Pixabay
Bandeira do Iraque Foto: jorono/Pixabay | Bandeira do Iraque

Agência de notícias fez uma matéria em que afirma que o governo do país omite o tamanho da pandemia de coronavírus

Bandeira do Iraque
Bandeira do Iraque| Foto: jorono/Pixabay
-Publicidade-

O governo do Iraque proibiu a atuação da Reuters, uma das maiores agências de notícias do mundo,   no país por três meses. Isso ocorre após uma reportagem alertar para a subnotificação pelo governo de Bagdá sobre o número de casos do coronavírus no país.

A Comissão de Comunicação e Imprensa do Iraque enviou uma carta à Reuters em que informa a decisão e expressa insatisfação diante da publicação da notícia de que o país teria milhares de infectados e não os 772 reconhecidos oficialmente.

De acordo com o jornal The Jerusalem Post, a comissão alega que a reportagem põe em perigo a ordem social e pede que a agência se desculpe e pague uma multa de US$ 20 milhões.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site