Itália: trabalhadores fazem greve contra obrigatoriedade do passaporte sanitário

Imposição do documento entrou em vigor hoje no país
-Publicidade-
Porto de Trieste, Itália
Porto de Trieste, Itália | Foto: Reprodução/Redes sociais

No Porto de Trieste, o maior da Itália em carga, trabalhadores iniciaram um protesto contra a obrigatoriedade do “passe verde”. As manifestações começaram nesta sexta-feira, 15, mesma data que a medida entra em vigor, e reúnem 5 mil estivadores.

Criado em razão da pandemia, o documento identifica quem já foi vacinado, tem um teste negativo para a covid-19 com menos de 48 horas ou passou pela doença recentemente. A partir hoje, a ida ao trabalho fora dessas condições gera multa de até € 1,5 mil.

As atividades não foram paralisadas, os grevistas não impedem o acesso de seus colegas. Contudo, eles avisam que permanecerão no local até que a medida seja suspensa.

-Publicidade-

Stefano Puzzer, líder sindical que está entre os organizadores, afirmou que “o protesto vai continuar até que o passe verde seja eliminado”. “É uma grande demonstração de liberdade, pacífica”, disse Puzzer à rede de televisão italiana Rai. “A vacina não pode ser o fator discriminatório para ter um emprego.”

Leia também: “Na Itália, milhares saem às ruas contra o passaporte da vacina”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.