Italianos protestam após implementação de medidas restritivas

Manifestações criticam postura do governo em relação à covid-19
-Publicidade-
Pela "liberdade", grupo se reuniu em Bolonha | Foto: Reprodução/Instagram
Pela "liberdade", grupo se reuniu em Bolonha | Foto: Reprodução/Instagram | itália - protestos contra restrições - covid-19

Manifestações criticam postura do governo em relação à covid-19

itália - protestos contra restrições - covid-19
Pela “liberdade”, grupo se reuniu em Bolonha | Foto: Reprodução/Instagram

Ao menos duas cidades da Itália foram palco de protestos na sexta-feira, 30. Realizados em Bolonha e Florença, no norte do país, os atos criticaram as mais recentes medidas restritivas impostas pelo governo, que fala em nova força-tarefa para combater a disseminação do coronavírus.

-Publicidade-

Leia mais: O autoritarismo escancarado invade Paris

A manifestação em Bolonha contou com a participação de mais de 500 pessoas, informou a agência de notícias Ansa. Na cidade, o grupo teceu críticas ao primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, a outras autoridades e até a jornalistas. Com novas regras de isolamento social, os manifestantes reclamaram da falta de “liberdade e dignidade”. De acordo com o noticiário local, não houve registros de vandalismo e o ato ocorreu de forma pacífica.

Em Florença, no entanto, a situação foi diferente. O protesto não foi devidamente autorizado pelas partes responsáveis e acabou em confronto entre manifestantes e policiais. Há registros de que objetos foram arremessados contra a polícia, de garrafas de vidro a cestos de lixo. Não houve divulgação de feridos em meio à situação.

Restrições

Os protestos ocorrem na semana em que o governo da Itália impôs mais regras de isolamento social em meio a registros de novos casos de covid-19 no país. Em vigor desde segunda-feira, 26, e com perspectiva de ser válida até 24 de novembro, a estratégia governamental foi chamada de semi-lockdown.

O conjunto de medidas impõe, por exemplo, o fechamento de academias, cinemas, piscinas e teatros. Além disso, o país passou a conviver com toque de recolher noturno, com estabelecimentos como bares, confeitarias, sorveterias e restaurantes sendo obrigados a fechar as portas às 18h em dias úteis.

Mais: “A verdade sobre a coronavac”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro