Jornal português destaca crianças portuguesas que ‘só falam brasileiro’

Tema se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais no Brasil na semana passada
-Publicidade-
Bandeira de Portugal | Foto: Somorgado/Pixabay
Bandeira de Portugal | Foto: Somorgado/Pixabay

Uma reportagem publicada pelo jornal português Diário de Notícias, um dos mais tradicionais veículos impressos de Portugal, na quarta-feira 10 chamou a atenção do público brasileiro ao afirmar que há crianças portuguesas que “só falam brasileiro”. O motivo apontado pela publicação seria a influência de youtubers do Brasil, os mais assistidos pelos “miúdos” portugueses, que estariam mudando a forma de falar das crianças.

“Dizem grama em vez de relva, autocarro é ônibus, rebuçado é bala, riscas são listras e leite está na geladeira em vez de no frigorífico. Os educadores notam-no sobretudo depois do confinamento — à conta de muitas horas de exposição a conteúdos feitos por youtubers brasileiros. As opiniões de pais, professores e especialistas dividem-se entre a preocupação e os que relativizam, por considerarem tratar-se de uma fase, como aconteceu com as novelas”, diz o jornal português.

-Publicidade-

“Isso foi mais na altura da epidemia. Depois, com o voltar da escola, deixou de mexer tanto no telemóvel e deixou de falar [as novas expressões] em casa. Mas quando encontra amigos brasileiros, começa a falar a ‘brasileiro’. Lembro de um menino perguntar a ele se ele era brasileiro”, disse uma mãe portuguesa ao jornal O Estado de S. Paulo.

O tema se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais no Brasil. Os usuários se dividiram entre aqueles que fizeram piada sobre a reportagem, apontando a influência brasileira noticiada como uma espécie de “colonialismo reverso” e fazendo comparações entre termos utilizados no Brasil e em Portugal, enquanto outros usuários — tanto brasileiros quanto portugueses — questionaram o teor xenofóbico da publicação, ao se referir ao português falado no Brasil como “brasileiro”, apesar do idioma ser um só.

Com informações do Estadão Conteúdo

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

9 comentários Ver comentários

  1. Policiais brasileiros:
    Os bandidos estão dentro daquela van ao lado daquela pickup.

    Policiais portugueses:
    Os bandidos estão dentro daquela carrinha ao lado daquela carrinha.

    Entenderam a diferença?

  2. Falar grama ao invés de relva , geladeira ao invés de frigorífico e ônibus ao invés de autobus não é nada , quero ver quando falarem todes e menines , vai ser o Ó.

  3. Amigos, primeiro que não existe língua “brasileiro”, segundo que são apenas crianças e jovens que gostam de diversificar suas linguagens, como nós adultos inserimos vários termos/palavras em inglês no nosso vocabulário, e nem por isso saímos dizendo que falamos ” americano”. Me poupem, é equivocado o pensamento da matéria.

  4. Portugueses, salvem vossas crianças. Aqui no Brasil não se fala sequer “brasileiro”, mas um idioma que remonta a tempos pré-civilizatórios.
    A educação brasileira foi arquitetada para formar um bando de analfabetos incultos.
    Não permitam essa influência infame.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.