Justiça italiana vai pedir inclusão de Robinho na lista vermelha da Interpol

Ex-jogador da Seleção Brasileira foi condenado a nove anos de prisão por violência sexual
-Publicidade-
Robinho foi condenado por violência sexual
Robinho foi condenado por violência sexual | Foto: Reprodução/Flickr

O jogador Robinho e seu amigo Ricardo Falco serão incluídos na lista vermelha da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol). É o que disse Stefano Opilio, diretor-geral de Relações Internacionais e Cooperação Judiciária do Ministério da Justiça da Itália, em entrevista concedida na quinta-feira 20 ao portal UOL.

“A praxe é esta: a Procuradoria-Geral de Milão espera a publicação da sentença para emitir a ordem de execução de pena”, explicou Opilio. “Em seguida, pede ao Ministério da Justiça que difunda a procura dos condenados, inserindo seus nomes na lista vermelha da Interpol. Desse momento em diante, eles passam a ser procurados em todo o mundo.”

Esse processo pode durar cerca de um mês. Por isso, não há certeza sobre a data em que Robinho e Falco serão incluídos na lista da Interpol. Atualmente, o caso está nas mãos da procuradoria; na sequência, a polícia brasileira terá de localizar os condenados. Ainda que os brasileiros sejam encontrados, não há garantia de que irão para a cadeia.

-Publicidade-

“Caso a extradição seja negada, vamos pedir a execução da pena no Brasil”, assegura Opilio.

Assim que a dupla for localizada, a Itália enviará o pedido de extradição, assinado pela ministra da Justiça italiana, Marta Cartabia. O documento chegará ao Brasil com todas as informações do caso traduzidas para o português.

Violência sexual

O crime cometido por Robinho ocorreu em 22 de janeiro de 2013. Na ocasião, o jogador e outros cinco brasileiros abusaram sexualmente de uma mulher albanesa na Sio Café, uma das boates mais conhecidas de Milão.

Na denúncia, a vítima alegou ter sido embriagada e abusada por seis homens, enquanto estava inconsciente. A defesa dos brasileiros, por sua vez, garante que a relação foi consensual. Naquele dia, a mulher comemorava seu aniversário de 23 anos de idade. No fim desta semana, completará 32.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Na Itália a Justiça tardou mas chegou a um veredicto. Em outros países a Justiça pode se tardar também, porém chega a uma sentença final, inclusive com o pedido de prisão e, se for o caso, a INTERPOL é acionada. A questão do “El Pollo”, que aguarda a decisão de sua extradição pedida pela justiça americana, pode desencadear condenações a diversos agentes públicos beneficiados pela atividade de narcotráfico segundo revelações do ex-chefe da Inteligência venezuelana. Preocupante para aqueles denunciados por se tratar de crime a ser julgado na justiça americana que alcançou e puniu com a prisão de certos dirigentes da FIFA, da CBF e outras entidades futebolísticas. Nos EEUU, a lei é dura mas é lei, um bom motivo de preocupação para aqueles envolvidos.

  2. Protesto pelo uso do uniforme do Clube Atlético Mineiro para ilustrar esta ocorrência. Ele não era atleta do Galo à época, já jogou no Santos, onde foi revelado, na época do crime jogava no Milan, foi convocado pela seleção brasileira no ano do crime, jogou também pelo Real Madrid, Manchester United, Guangzhou, Evergrande, Sivasspor e İstanbul Başakşehir, agora, na condenação, ele está sem clube.

    1. Pois é… com tantos criminosos com/sem dinheiro a solta, a justiça lenta e favorável a quem pode pagar, as pessoas deveriam se enconder, principalmente as mulheres…

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.