Kiev acusa o Canadá de ‘burlar’ sanções à Rússia

Governo canadense concedeu licenças para que peças de um gasoduto russo voltassem à Europa

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
O retorno da turbina à Rússia pode significar que o gasoduto Nord Stream 2 voltará a funcionar, assim que os trabalhos de manutenção estiverem concluídos
O retorno da turbina à Rússia pode significar que o gasoduto Nord Stream 2 voltará a funcionar, assim que os trabalhos de manutenção estiverem concluídos | Foto: Divulgação/Energy Connects

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia expressou sua “decepção” depois que o governo do Canadá concedeu licenças para que peças de um gasoduto russo voltassem à Alemanha.

“O lado canadense foi instado a reconsiderar a decisão, que mina a unidade euro-atlântica na aplicação do regime de sanções internacionais contra a Federação Russa”, disse o Ministério, em comunicado. Ainda segundo a pasta, a decisão abre a porta para a Rússia continuar usando a energia como uma “arma híbrida” contra a Europa.

A turbina da empresa alemã Siemens estava passando por reparos no Canadá e, de acordo com vários meios de comunicação alemães, o retorno à Rússia pode significar que o gasoduto Nord Stream 2 voltará a funcionar, assim que os trabalhos de manutenção estiverem concluídos.

-Publicidade-

O ministério ucraniano convocou o embaixador do Canadá, na segunda-feira 11, para dar explicações. A medida ocorre um dia após o governo da Ucrânia ter denunciado o acordo Alemanha–Canadá como “uma manipulação do regime de sanções para atender aos caprichos russos”.

“Este perigoso precedente vai contra o Estado de Direito e terá apenas uma consequência, que é reforçar a sensação de impunidade de Moscou”, disseram os Ministérios das Relações Exteriores e da Energia, em comunicado conjunto.

Nele, também destacaram que a turbina não é necessária para que a estatal russa Gazprom continue fornecendo gás através do Nord Stream 1, uma vez que a estação de compressão em questão está equipada com várias turbinas, que foram desconectadas “sem motivo”.

Este gasoduto que atravessa o Mar Báltico até a Alemanha é a principal fonte de abastecimento de gás russo para Berlim no momento, mas o fluxo foi reduzido em 60% ao longo do mês de junho, devido a problemas técnicos, segundo Moscou.

O trabalho anual de manutenção começou ontem e tem prazo para terminar no próximo dia 21, e o governo alemão teme que seja usado como desculpa pela Gazprom, junto com a falta da turbina enviada ao Canadá para reparação, para interromper definitivamente o fornecimento.

De acordo com a imprensa alemã, a Siemens Energy anunciou ontem que, após a decisão do governo canadense de devolver a turbina, ela será transportada para a Alemanha e depois transferida “o mais rápido possível” para a estação de compressão perto de São Petersburgo.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. kkkkkk GENTE!! é rir pra não chorar….a ARROGÂNCIA DESSE governo ucraniano é simplesmente sem noção….o que prometeram para essa canalha para serem tão arrogantes??
    AGORA a HIPOCRISIA europeia é uma doença congênita que nunca será curada…. os caras são canalhas mesmo. Os EUA/canada tem realmente a quem puxar,

    1. Pra um presidente que estatizou a mídia e fechou partidos de oposição cobrar um posicionamento da Alemanha posando de democrata é no mínimo uma hipocrisia.

      Por outro lado, o Trump avisou anos atrás sobre a dependência do gás russo. Riram da cara dele e agora pagam um preço caríssimo.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.