Revista Oeste - Eleições 2022

Líderes mundiais buscam soluções para escassez de alimentos

A invasão da Ucrânia pela Rússia fez aumentar o número de pessoas que vivem em insegurança alimentar
-Publicidade-
Os alimentos estão escassos
Os alimentos estão escassos | Foto: Reprodução/Flickr

Com a invasão da Ucrânia pela Rússia interrompendo o abastecimento global de alimentos, as autoridades das economias mais desenvolvidas do mundo se reuniram nesta sexta-feira, 24, para encontrar soluções para a escassez.

A Conferência de Berlim, realizada dois dias antes de os líderes do G7 se reunirem nos Alpes da Baviera, tem o objetivo de mobilizar recursos para evitar que as interrupções se transformem em uma crise humanitária.

Como mostra reportagem publicada no The Wall Street Journal, a África e o Oriente Médio correm o risco de ser severamente afetados pela incapacidade da Ucrânia de enviar suas colheitas de grãos para fora de seus portos no Mar Negro, que estão sujeitos a um bloqueio russo.

-Publicidade-

“A única razão para isso é a agressão da Rússia contra a Ucrânia e o bloqueio do Kremlin aos grãos e a outros alimentos que saem da Ucrânia”, disse o chefe da diplomacia norte-americana, Antony Blinken, em comunicado conjunto com a secretária de Estado da Alemanha, Annalena Baerbock.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, acusou repetidamente o Ocidente de interromper o fornecimento global de grãos e fertilizantes.

Antes da invasão da Ucrânia, as Nações Unidas estimavam que, entre 2018 e 2021, o número de pessoas vivendo em insegurança alimentar aguda aumentou de 110 milhões para 190 milhões. Agora, com o conflito no Leste Europeu, quase 200 milhões de pessoas sofrem com essa situação.

A Rússia e a Ucrânia, juntas, fornecem quase um terço do trigo do mundo e um quarto de sua cevada, segundo o International Food Policy Research Institute.

Leia também: “O Brasil vai alimentar o mundo”, entrevista com Celso Moretti, presidente da Embrapa, publicada na Edição 103 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Com certeza que os ilustres líderes mundiais estão preocupadíssima com a produção de alimentos. Vide Holanda, Sri Lanka e Nova Zelândia entre outros

  2. Vão contar essa daí pro Benedicto, cacete! Vão querer me convencer que a Ucrânia tem esse peso todo na alimentação do mundo? Só prá começo de conversa, toda a produção de grãos da Ucrânia, responde por apenas 3% do total mundial, realmente é muita coisa mas não é tanto assim também, não é? Então, menos, certo?

  3. 1- Esses supostos líderes esqueceram de perguntar para greta e di caprio qual a solução?
    2- O mundo impede a circulação de mercadorias na Amazônia, encarecendo os alimentos.
    3- Transportem os alimentos, se é que tem algum, da Ucrânia através de algum porto europeu.
    4- Estão putinhos com Putin, porém os europeus e americanos adoravam a mão de obra barata escrava dos Russos e chineses, até o ponto de ficarem dependentes até de chips para veículos e eletrônicos.

  4. Será que vão lançar algumas vacinas ‘contra a fome’ e provar ‘cientificamente’ que os alimentos produzidos pelo Brasil não podem ser consumidos?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.