Membro da diretoria do Comitê Olímpico do Japão critica organizadores da Olimpíada

País enfrenta quarta onda de covid-19 e está em estado de emergência
-Publicidade-
Jogos Olímpicos de Tóquio: novas críticas à realização do evento
Jogos Olímpicos de Tóquio: novas críticas à realização do evento | Foto: Miki Yoshihito/Divulgação/Flickr

Na sexta-feira, 4, um membro da diretoria do Comitê Olímpico Japonês (JOC) criticou os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio por ignorar as preocupações do público sobre a realização do evento em meio à pandemia, enquanto o principal consultor médico do Japão pediu novas medidas para reduzir os riscos. O Japão enfrenta uma nova onda de covid-19 e o número de casos graves sobrecarregam o sistema de saúde.

Kaori Yamaguchi, do JOC, em um artigo publicado pela agência de notícias Kyodo, acusa o governo japonês, o comitê organizador de Tóquio 2020 e o Comitê Olímpico Internacional (COI) de “evitar o diálogo” e afirma que o COI “parece pensar que a opinião pública no Japão não é importante” (como noticiado por Oeste, 80% dos japoneses são contrários ao evento). Recentemente, o vice-presidente do COI, John Coates, comentou que a olimpíada seria realizada mesmo sob estado de emergência.

-Publicidade-

“Acredito que já perdemos a oportunidade de cancelar… Fomos encurralados em uma situação em que não podemos nem mesmo parar agora. Estamos condenados se o fizermos, e condenados se não o fizermos”, diz Yamaguchi, que é ex-medalhista olímpico de judô.

Leia também: “Japão não pode cancelar Olimpíada, caso o COI diga que ela deve ocorrer”

Também na sexta-feira, 4, o principal conselheiro médico do governo, Shigeru Omi, afirmou ao parlamento que o maior risco dos Jogos Olímpicos seria o aumento do movimento do público em geral, o que, no passado, contribuiu para o aumento das infecções, de acordo com uma reportagem da agência de notícias Reuters. O Japão registrou mais de 13.000 mortes e quase 750.000 casos de covid-19.

“As pessoas se cansaram do pedido de ‘ficar em casa’… A menos que (o governo) traga algo novo nesta fase crítica, será impossível prevenir o risco de contágio”, disse o conselheiro.

Omi afirmou que orientações de saúde pública, incluindo a sua, não estavam chegando ao COI: “Estamos agora considerando onde devemos dar nossos conselhos”, disse ao parlamento. “Se eles querem realizar (os Jogos), é nosso trabalho dizer a eles quais são os riscos.”

De acordo com o conselheiro, uma declaração sobre os Jogos Olímpicos está sendo planejada por especialistas médicos para 20 de junho, quando o atual estado de emergência está previsto para acabar, como reportou Oeste.

Leia também: “Covid-19: 10 mil voluntários desistem da Olimpíada de Tóquio”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comment

  1. As Olimpíadas em Tóquio deverão seguir as determinações de segurança médica e fatalmente diferirão de qualquer Olimpíada antes. Estou solidário aos 80% dos japoneses que não querem a realização das Olimpíadas nesse momento histórico.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site