Morre iraniano que viveu por 18 anos em aeroporto

Mehran Karimi Naseri, refugiado político, inspirou o filme O Terminal
-Publicidade-
Naseri no terminal do aeroporto Charles de Gaulle, em 2005
Naseri no terminal do aeroporto Charles de Gaulle, em 2005 | Foto: Reprodução/Wikipedia

Morreu neste sábado, 12, o iraniano Mehran Karimi Naseri, refugiado político que viveu por mais de 18 anos no aeroporto Charles de Gaulle de Paris, na França. A história dele inspirou o filme O Terminal, dirigido por Steven Spielberg.

Mehran Karimi morreu de causas naturais em um dos terminais do aeroporto, segundo informou a agência de notícias France-Presse. Depois de ter gastado grande parte do dinheiro recebido pelo filme, Naseri voltou ao aeroporto há algumas semanas, com vários milhares de euros em sua posse.

Naseri nasceu em 1945, em Masjed Soleiman, na Província iraniana de Khuzestão. O que se sabe sobre sua história foi contada por ele, que saiu de casa em 1972 para estudar na Inglaterra. Lá, participou de movimentos contrários ao regime iraniano. Ao retornar para o país, em 1974, foi perseguido e torturado.

-Publicidade-

Naseri foi expulso do Irã depois de ter sua nacionalidade cassada, vagando pela Europa. Alegando cidadania inglesa tentou viajar à Inglaterra, mas por ter seus documentos supostamente roubados ao fazer escala em Paris, teve de ficar retido na área de espera do Charles de Gaulle.

No aeroporto, uma rede informal de apoio cresceu ao seu redor, fornecendo comida e ajuda médica, além de livros e rádio. Em 1999, foi-lhe concedido o estatuto de refugiado e o direito de permanecer em França. Porém, ele decidiu continuar no terminal, onde viveu por 18 anos.

A história peculiar de Naseri chamou a atenção do diretor de Hollywood. Em 2004, Tom Hanks e Catherine Zeta-Jones interpretaram o iraniano em O Terminal.

Confira o trailler

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Todo apoio aos comentários antecedentes. Mas como sempre, a história real é melhor que o filme. Hollywood apagou a referência a uma ditadura, preferiu uma revolta armada, se bobear atribuida à direita. Sacou?

  2. O iraniano foi perseguido e torturado pela DITADURA de seu País. 👁👁 ABRAMOS OS OLHOS. Não nos deixemos enganar por promessas MENTIROSAS E FRAUDULENTAS

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.