Elon Musk: ‘Banir a conta de Trump do Twitter foi um erro grave’

No sábado 19, magnata reativou a contra do ex-presidente na plataforma
-Publicidade-
'A voz do povo, voz de Deus', redigiu Musk, em latim
'A voz do povo, voz de Deus', redigiu Musk, em latim | Foto: Reprodução/Flickr

Elon Musk, dono do Twitter, disse em seu perfil oficial que a suspensão da conta do ex-presidente dos EUA Donald Trump foi “um erro grave”. Trump foi banido do Twitter depois que seus apoiadores invadiram o Congresso dos EUA durante a sessão que certificaria a vitória de Joe Biden nas eleições.

“Estou bem com Trump não twittando”, escreveu Musk ao se referir às publicações no Twitter. “O importante é que o Twitter corrija um grave erro ao banir sua conta, apesar de não ter violado a lei ou os termos de serviço. Tirar da plataforma um presidente em exercício minou a confiança do público no Twitter para metade dos EUA.”

O magnata ainda destacou que, em 2020, votou em Biden “relutantemente”. No entanto, que a liberdade de expressão é a base de uma “democracia forte e deve ter precedência”.

-Publicidade-

“Minha preferência para a presidência de 2024 é alguém sensato e centrista”, disse. Musk ainda revelou que se “desapontou” com o governo Biden.

No sábado 19, Musk reativou a contra de Trump no Twitter. “O povo falou. Trump será reintegrado”, escreveu o magnata, depois de saber o resultado de uma pesquisa que fez com seus seguidores, na qual perguntava se o ex-presidente deveria voltar à rede social.

Pouco mais de 50%, cerca de 15 milhões, de votos foram a favor do retorno de Trump à plataforma. “A voz do povo, voz de Deus”, redigiu Musk, em latim. No entanto, o ex-presidente ainda não fez nenhuma publicação no Twitter até o momento.

Cancelamento de Trump

Trump foi banido permanentemente do Twitter em 8 de janeiro de 2021, dois dias depois que apoiadores do Partido Republicano invadiram o Congresso dos EUA. A plataforma justificou o banimento afirmando que houve análise criteriosa dos tuítes de Trump e que constatou “risco de mais incitações à violência”. O ex-presidente, que apontou a existência de fraude nas eleições norte-americanas em favor de Biden, também teve as contas suspensas em outras redes sociais.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Acompanhei a invasão do Capitólio. Não foi insuflada por Trump. Há evidências de que infiltrados dos Democratas e do FBI participaram ativamente da invasão. Depois foi fácil botar a culpa no Trump.
    Tudo para eleger um gagá corrupto progressista e que arrasa a economia dos EUA e dos vizinhos.

  2. O responsável pela matéria precisa PROVAR o que escreveu. “Trump foi banido do Twitter depois que seus apoiadores invadiram o Congresso dos EUA”
    #Augustonunes #Brancanunes precisam tomar conta “dos vendedores da lojinha”.
    Fakenews e/ou narrativas não combinam com a #revistaoeste

  3. Sugiro ao autor da matéria CONFERIR se realmente houve a tal invasão e se o ato assim chamado foi DE FATO feito por apoiadores do Trump. Acho bom os diretores da Oeste VERIFICAR com mais CRITÉRIO o currículo dos jornalistas que estão contratando. O Paulo Figueiredo, assim como a Ana Paula já cansaram de analisar as mentiras que foram criadas para jogar a culpa no Trump durante este ATO.

    1. … houve uma, muito mal elaborada, manobra que resultou no que consideram invasão – isto é fato. A tal invasão é tão real quanto ao autoritarismo do governo Bolsonaro….

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.