Na Ucrânia, pesquisadores encontram vala comum com milhares de vítimas de Stalin

Pessoas foram assassinadas no fim da década de 1930
-Publicidade-
Foto: Domínio Público
Foto: Domínio Público

Cientistas encontraram restos mortais de 8,6 mil pessoas em 29 valas comuns localizadas em Odessa, na Ucrânica. Os pesquisadores informaram se tratar de vítimas do ex-ditador da União Soviética Josep Stalin. Os óbitos ocorreram durante o Grande Expurgo, quando 750 mil foram assassinados a mando do governante de extrema esquerda, no fim dos anos 1930.

Na sexta-feira 27, Sergiy Gutsalyuk, chefe da filial regional do Instituto Nacional de Memória da Ucrânia, explicou à agência de notícias AFP que é impossível reconhecer a identidade das pessoas, visto que os documentos da época são sigilosos e mantidos em Moscou. “A papelada nunca será entregue a nós sob o atual governo da Rússia”, disse Gutsalyuk.

Aleksander Babich, um dos pesquisadores envolvidos na descoberta das sepulturas, afirmou que o número de vítimas pode ser ainda maior, já que as escavações ainda estão em andamento. Segundo estimativas de historiadores, centenas de milhares de ucranianos foram presos em campos de trabalhos forçados durante a ditadura de Stalin.

-Publicidade-

Leia também: “Manual prático do golpe”, artigo de J.R. Guzzo publicado na Edição 75 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro