‘Não podemos vacinar o mundo a cada 6 meses’, diz um dos desenvolvedores da vacina da AstraZeneca

Andrew Pollard é professor e especialista em infecção pediátrica
-Publicidade-
Andrew Pollard afirmou que vacinação contra a covid-19 deveria priorizar os mais vulneráveis
Andrew Pollard afirmou que vacinação contra a covid-19 deveria priorizar os mais vulneráveis | Foto: Reprodução

Um dos responsáveis pela equipe que desenvolveu a vacina da AstraZeneca contra a covid-19, o professor e especialista em infecção pediátrica Andrew Pollard contestou a estratégia já esboçada por alguns países, como Israel, de vacinar sua população a cada seis meses contra a doença causada pelo novo coronavírus.

Em entrevista concedida ao jornal The Telegraph, Pollard classificou como “insustentável” a eventual vacinação contra a covid-19 duas vezes ao ano. “Nós não podemos vacinar o planeta a cada seis meses. É simplesmente inviável”, afirmou.

De acordo com o especialista, que também chefia o Comitê Conjunto de Vacinação e Imunização do Reino Unido, é necessário “priorizar os mais vulneráveis” nas campanhas de vacinação, em vez de aplicar doses do imunizante em todos os maiores de 12 anos.

-Publicidade-

Segundo Pollard, a decisão do governo israelense de iniciar a aplicação de uma quarta dose da vacina contra a covid-19 carece de embasamento científico, pelo menos até o momento.

“Em algum momento, a sociedade terá de se abrir. Quando isso acontecer, haverá um período de aumento de infecções, motivo pelo qual o inverno talvez não seja o melhor momento para isso”, afirmou Pollard.

Ainda de acordo com o cientista, “o pior da pandemia já passou” e “o mundo só precisa sobreviver ao inverno”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

14 comentários Ver comentários

  1. Gostaria de saber se esses senhores que ordenam o tempo todo, o que povo deve tomar esses lixo 🤬 de vacina, se eles se eles ou parentes deles se vacinaram?

    1. Não existe VACINA! Somente é VACINA quando finalizar as etapas. Paremos de falar q isso e VACINA! No max é um experimento. Vejamos q a SAÚDE no mundo está nas mãos de corporações farmacêuticas e químicas que em conluio com o estado pintam e bordam em nome da SAÚDE E BEM ESTAR COLETIVO!

    2. Não, né? Veja no caso do Brasil. Os Parlamentares do Congresso Nacional que criaram esse passaporte vacinal obrigatório para todo cidadão Brasileiro. Eles estão fora dessa obrigatoriedade. É para todo e qualquer cidadão se sujeitar a isso. Menos eles. Eles são mais especiais do que os outros brasileiros. Todo mundo é obrigado a tomar essas porcarias, menos eles.

  2. Por favor, alguém pode dar o telefone, o e-mail ou o endereço deste especialista para que o nosso “especialista” Barroso possa se informar e parar com este negócio de 24 horas para o governo vacinar todas as crianças do Brasil.

    1. Hoje a audiência pública sobre a temática de inoculação em crianças. Foi uma destruição das falácias destes totalitaristas em conluio com os lobistas ! Até o povo da Pfizer saiu com rabo entre as pernas. Fraco esse povo! Outro ponto é q o diretor da pfizer passou de um senhor de 60 anos aproximadamente, lá atrás no início da pandemia, passando para uma mulher de 30 e poucos anos. Entendem ?

  3. Esse caso das vacinas é só LOBBY. Hj mesmo Dep Fed Bia Kisses na Audiência sobre vacina p crianças revelou q os médicos contrários à prescrição médica assinaram um termo de responsabilidade onde diz q eles trabalham pra Big Pharmas.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.