O ‘STF’ dos EUA está a um passo do conservadorismo

Indicada por Trump à Suprema Corte, Amy Coney Barrett defende que a "a vida começa na concepção" e está alinhada às posições do presidente
-Publicidade-
Foto: Reprodução/YouTube/NBC News
Foto: Reprodução/YouTube/NBC News | Foto: Reprodução/YouTube/NBC News

Indicada por Trump à Suprema Corte, Amy Coney Barrett defende que a “a vida começa na concepção” e está alinhada às posições do presidente

o stf dos eua
Cerimônia de confirmação do nome da futura ministra do ‘STF’ dos EUA | Foto: Reprodução/YouTube/NBC News
-Publicidade-

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, oficializou neste sábado, 26, o nome da juíza Amy Coney Barrett para ocupar na Suprema Corte dos EUA a cadeira da magistrada Ruth Bader Ginsburg, que morreu semana passada. A escolha tem de passar, agora, pelo Senado, onde os Republicanos têm maioria. Portanto, a ratificação do nome escolhido pela Casa Branca é quase certa e muda o perfil do “STF dos EUA”, cuja maioria será conservadora (6 contra 3 progressistas).

Leia também: “A Suprema Corte e o abuso de poder”, artigo de Ana Paula Henkel publico na edição n° 27 da Revista Oeste

Barrett, de 48 anos, é juíza de carreira, estudou Direito na Escola de Direito de Notre Dame, em Indiana, e atualmente integra o Tribunal de Apelações do 7º Circuito de Chicago. Católica e mãe de sete filhos, Barrett defende que “a vida começa na concepção”. Dessa forma, se posiciona contra o aborto e poderá ter voto decisivo se o tema voltar à pauta do tribunal. Além disso, a futura ministra está alinhada com posições de Trump em relação ao uso de armas e restrições a imigrantes ilegais.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comments

  1. E claro, o presidente escolhe um ministro da suprema corte de seu país, aliando a ele, sempre foi assim, Lula foi assim, Dilma foi assim, Obama, foi assim, Clinton foi assim ,mas parece que esse alinhamento, o Bolsonaro e o Trump, não tem direito.
    O Trump tem que escolher um alinhado com o Obama,e o Bolsonaro, um alinhado com o Lula.

  2. Pena que por aqui ainda levaremos 3 anos e muita reza pra nossa corte (corte?), se endireitar.
    A menos q aqueles funcs públicos indicados POR BANDIDOS, abram mão e busquem suas aposentadorias.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site