Olimpíada: primeiro-ministro do Japão cogita proibir presença de público nas competições

Jogos Olímpicos de Tóquio começam em 23 de julho
-Publicidade-
O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga: "segurança e proteção do povo japonês" são prioridade
O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga: "segurança e proteção do povo japonês" são prioridade | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Faltando três semanas para o início dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, o primeiro-ministro do país, Yoshihide Suga, afirmou nesta quinta-feira, 1º de julho, que avalia reduzir ou até mesmo proibir a presença de torcedores no evento, que começa no dia 23. Suga mostra preocupação com o aumento de casos de covid-19 no país, uma tendência que pode crescer com a chegada de atletas, patrocinadores e jornalistas. Nesta quarta-feira 30, Tóquio havia contabilizado 673 novos casos, reafirmando a tendência de subida. Conforme noticiou Oeste, o estado de emergência foi suspenso no dia 20 de junho.

“Existe a possibilidade de não haver espectadores. Em qualquer caso, agiremos tendo a segurança e a proteção do povo japonês como nossa principal prioridade”, afirmou o primeiro-ministro. Segundo ele, novas decisões serão tomadas em consenso entre os governos do Japão e metropolitano, o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Comitê Organizador. De acordo com especialistas, a variante delta, primeiramente identificada na Índia, pode desencadear um rápido reaparecimento das infecções pelo novo coronavírus durante o evento.

Leia também: “Tóquio retira parte do revezamento da Tocha Olímpica de vias públicas”

-Publicidade-

Pela decisão atualmente em vigor, cerca de 10 mil espectadores vão poder assistir às competições em cada um dos locais das disputas, conforme reportou Oeste, seguindo uma série de determinações. A liberação de público gerou críticas à organização dos Jogos Olímpicos. Grande parte da população é contrária à realização do evento.

Leia também: “Olimpíada de Tóquio proíbe álcool, comemorações e autógrafos”

Imperador

Segundo informação divulgada pelo chefe da Agência da Casa Imperial, na quinta-feira 24, na semana passada, o imperador do Japão, Naruhito, se mostrou “extremamente preocupado” com a possibilidade de aumento da contaminação por covid-19 durante a disputa dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. O patrono honorário da Olimpíada de Tóquio não possui poder político, mas sua figura é bastante respeitada, afirma uma reportagem do Estadão Conteúdo.

Leia também: “Japão não pode cancelar Olimpíada, caso o COI diga que ela deve ocorrer”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site