OMS defende retomada: ‘As pessoas precisam trabalhar’

Organização também afirmou que a pandemia de coronavírus é, de longe, a maior emergência global da história
-Publicidade-
Coletiva de Imprensa na sede da Organização Mundial da Saúde, em Genebra, na Suíça | Foto: Reprodução/OMS
Coletiva de Imprensa na sede da Organização Mundial da Saúde, em Genebra, na Suíça | Foto: Reprodução/OMS

Organização também afirmou que a pandemia de coronavírus é, de longe, a maior emergência global da história

OMS
Coletiva de Imprensa na sede da Organização Mundial da Saúde, em Genebra, na Suíça (27/07/2020)| Foto: Reprodução/OMS

O diretor do Programa de Emergências da Organização Mundial da Saúde, Mike Ryan, defendeu nesta segunda-feira, 27, a retomada da economia, com a adoção de medidas para evitar a propagação da covid-19.

-Publicidade-

Em coletiva virtual, em Genebra, na Suíça, ele disse, por exemplo, que a proibição de viagens internacionais não pode vigorar por tempo indeterminado.

“Será quase impossível para países individuais manter suas fronteiras fechadas em um futuro previsível. As economias têm que se abrir, as pessoas têm que trabalhar, o comércio tem que recomeçar”, disse Ryan.

LEIA MAIS: Vacina de US$ 1 bilhão da Moderna chega à última fase de testes

Para o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, os países terão que se esforçar mais para diminuir a disseminação do novo coronavírus dentro de suas fronteiras.

Ele afirmou que a pandemia é, de longe, a maior emergência global da história.

Para a entidade, a melhor forma de controlar a doença é a obediência de medidas como o uso de máscara e distanciamento social.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.