Operários protestam em maior fábrica de iPhones da China

Os trabalhadores afirmam que a Foxconn Technology não está pagando devidamente os salários

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
Trabalhadores chineses estão insatisfeitos com a Foxconn Technology
Trabalhadores chineses estão insatisfeitos com a Foxconn Technology | Foto: Reprodução/Flickr

Operários da Foxconn Technology, principal fábrica de iPhones da Apple da China, protestaram nesta quarta-feira, 23, contra recorrentes atrasos no pagamento de salários.

Segundo a empresa, os protestos se iniciaram durante a troca de turno. Um grupo de funcionários recém-chegados apresentou reclamações sobre “subsídios no trabalho”. Em comunicado, a Foxconn informou que está dialogando com os trabalhadores e com o governo, para evitar a reincidência dos protestos.

Vídeos divulgados nas redes sociais Weibo e Twitter mostram trabalhadores protestando em frente à fábrica da Foxconn, em Zhengzhou. Alguns dos manifestantes entraram em confronto com a polícia.

-Publicidade-

Os confrontos tiveram início depois que os funcionários da Foxconn assinaram um acordo para receber 3 mil iuanes por 30 dias de trabalho. Contudo, a empresa teria pago apenas 30 iuanes. Os operários também acusam a fábrica de oferecer “péssimas condições de trabalho”.

A principal terceirizada da Apple registrou um aumento nos casos de covid-19 em sua fábrica de Zhengzhou nos últimos meses. Por isso, os administradores decidiram fechar o complexo industrial. A Apple reconheceu, neste mês, que essa situação “afetou temporariamente” a produção da fábrica.

A Foxconn é o maior empregador privado da China, com 1 milhão de pessoas trabalhando em 30 fábricas e institutos de pesquisas espalhados por todo o país.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.