Paraguai: motoristas protestam por alta nos combustíveis

O presidente da estatal disse ser 'complicado conseguir uma redução nos preços'
-Publicidade-
Desde segunda-feira 14 há manifestações em diferentes pontos do país
Desde segunda-feira 14 há manifestações em diferentes pontos do país | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Manifestantes bloquearam a Ponte da Amizade entre Brasil e Paraguai no início da semana, depois do anúncio do aumento nos combustíveis no Paraguai. O governo paraguaio justificou a alta nos preços devido ao conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

O bloqueio foi organizado por representantes de associações, sindicatos, caminhoneiros, moto taxistas, entregadores e motoristas de aplicativo paraguaios que são contrários ao aumento dos combustíveis. A gasolina mais barata no país vizinho custa R$ 5,37.

Na terça-feira 15 o presidente da Petróleos Paraguaios (Petropar), Denis Lichi, disse ser “complicado conseguir uma redução nos preços dos combustíveis” e defendeu uma estabilização como alternativa.

-Publicidade-

“Hoje é muito complicado falar em redução de preços em nível nacional”, declarou Lichi, depois de uma reunião entre delegados do governo e um grupo de senadores, para em seguida defender a “estabilização de preços” para fornecer previsibilidade para cálculos de frete e outros custos.

O presidente da Petropar destacou ainda que a estatal manterá o custo dos combustíveis durante os meses de março e abril. Isso não inclui, no entanto, combustíveis comercializados por empresas privadas que podem definir livremente o valor.

Além disso, Lichi frisou que eles ofereceram um desconto de ₲ 400 (cerca de US$ 0,05) no valor do litro de combustível que caminhoneiros, taxistas, motociclistas e outros setores compram da estatal. Mas indicou que os manifestantes propuseram a transferência deste benefício para todos os cidadãos, com um desconto de ₲ 250 (US$ 0,03) por litro.

A reunião aconteceu em meio ao segundo dia de protestos e bloqueios em diferentes estradas do país, que afetam especialmente duas rotas que ligam Assunção a Ciudad del Este, na fronteira com o Brasil, e Encarnación, na fronteira com a Argentina.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.