Parlamentares bolivianos trocam socos e chutes em sessão do Congresso; assista

Senador de oposição e deputado governista partiram para as vias de fato; país é governado por preposto de Evo Morales
-Publicidade-
Senador de oposição e deputado governista trocaram socos e chutes no Congresso
Senador de oposição e deputado governista trocaram socos e chutes no Congresso | Foto: Reprodução/Redes Sociais

O Congresso da Bolívia foi palco de cenas de violência ontem, terça-feira 8, durante uma sessão que ouvia o ministro do Governo do presidente Luis Arce, Eduardo del Castillo. Durante sua intervenção, o ministro defendeu a tese de que teria havido um “golpe de Estado” no país em 2019, o que levou à renúncia do então presidente Evo Morales.

Como Oeste mostrou em reportagem especial publicada no dia 18 de maio, a Bolívia vive um momento de tensão política. Há quase quatro meses, a ex-presidente Jeanine Áñez — que assumiu o governo após a renúncia de Evo — está presa. Ela é acusada pelos atuais mandatários de sedição, terrorismo e conspiração. Arce, o atual presidente, é pupilo político de Morales.

-Publicidade-

Leia mais: “Bolívia: revanche da esquerda tem prisões políticas e perseguição a opositores”

Áñez foi alvo de um mandado judicial que determinava sua prisão preventiva, que vem sendo prorrogada indefinidamente. Além dela, foram detidos ex-ministros de seu governo e líderes militares que supostamente teriam participado do “golpe”. O Ministério Público defende uma condenação a 30 anos de cárcere.

Em 2019, foram revelados indícios consistentes de fraude nas eleições que deram o quarto mandato a Evo Morales, o principal líder do Movimento ao Socialismo (MAS). Segundo o relatório independente, houve uma série de irregularidades “muito graves” durante o processo de votação, o que tornou a permanência de Morales insustentável. Sem apoio das Forças Armadas e questionado pela oposição, o líder socialista renunciou ao cargo — assim como o vice, Álvaro García Linera, e os presidentes da Câmara, Adriana Salvatierra, e do Senado, Víctor Borda. Então vice-presidente do Senado, Áñez assumiu a Presidência, cumprindo o que determina a Constituição boliviana.

O senador Henry Montero, de oposição ao governo do MAS, e o deputado governista Antonio Gabriel Colque tiveram uma calorosa discussão. Após trocarem xingamentos, os dois parlamentares entraram em confronto físico, com socos e chutes. As imagens da briga viralizaram nas redes sociais.

Leia também: “‘Veremos um choque entre o castrochavismo e a democracia’, diz ex-ministro boliviano sobre Lula x Bolsonaro”

Assista:

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comments

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site