Parlamento espanhol legaliza eutanásia e suicídio assistido

‘Somos um país mais humano, mais justo e mais livre’, disse o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, após a aprovação da pauta
-Publicidade-
O socialista Pedro Sánchez comemorou a legalização da eutanásia
O socialista Pedro Sánchez comemorou a legalização da eutanásia | Foto: Reprodução/Flickr

O Parlamento espanhol aprovou ontem, quinta-feira 18, uma lei que legaliza a eutanásia e o suicídio assistido, fazendo da Espanha uma das poucas nações a permitir que pacientes terminais ou gravemente feridos decidam ceifar a própria vida. A nova legislação, tratada como prioridade pelo governo do primeiro-ministro socialista Pedro Sánchez, foi aprovada com 202 votos a favor, 141 contra e duas abstenções na câmara de 350 assentos. Na eutanásia, equipes médicas põem fim à vida de um paciente usando medicamentos fatais. Já no suicídio assistido, pacientes administram o medicamento neles mesmos, sob supervisão médica. Ambas as alternativas serão oferecidas pelo Sistema Nacional de Saúde espanhol a partir de junho. “Hoje, somos um país mais humano, mais justo e mais livre. A lei da eutanásia, amplamente exigida pela sociedade, finalmente se torna realidade”, tuitou o premiê espanhol, poucos minutos após a votação. “Obrigado a todas as pessoas que lutaram incansavelmente para que o direito de morrer com dignidade fosse reconhecido na Espanha”, concluiu.

Leia também: “Espanha informa morte de pessoa que tomou vacina da Oxford/AstraZeneca”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.