Partido Comunista da China aumentou estoque de testes para a covid-19 meses antes da pandemia

É o que mostra relatório de empresa de segurança cibernética
-Publicidade-
O secretário-geral do Partido Comunista da China, Xi Jinping
O secretário-geral do Partido Comunista da China, Xi Jinping | Foto: Divulgação/Agência Brasil

A província de Hubei, onde está localizado o epicentro da covid-19, aumentou as compras de testes para o novo coronavírus meses antes da pandemia. Conforme relatório da Internet 2.0, empresa de segurança cibernética, o estoque de “kits PCR” começou a crescer em julho de 2019 — os primeiros casos da doença provocada pelo patógeno seriam reportados em dezembro.

“Houve uma compra de equipamento de teste de coronavírus em Wuhan em 2019, com contratos de compra aumentando em mais de 50% em relação ao ano anterior”, ressaltou a companhia que revelou a história, em 4 de outubro. “Temos grande confiança de que a pandemia começou muito antes de a China informar a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a covid-19.”

No mês passado, a OMS iniciou a retomada da investigação para apurar a origem do coronavírus com a formação de uma nova equipe de especialistas. O grupo reúne cerca de 20 cientistas, entre geneticistas e técnicos em segurança em laboratório, biossegurança e doenças animais. A equipe vai se dirigir a outros possíveis locais do surgimento do patógeno na China.

-Publicidade-

Partido Comunista da China

O Ministério das Relações Exteriores do país asiático contestou as descobertas. Em carta à agência de notícias Bloomberg, um porta-voz disse que as revelações se enquadram na mesma categoria de outras “suspeitas duvidosas” sobre a gênese da covid-19. “A rastreabilidade do vírus é uma questão científica séria que deve ser tratada pelos cientistas”, afirmou o diplomata.

Leia também: “O jogo do gigante”, reportagem publicada na Edição 58 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

11 comentários Ver comentários

  1. Temos que ignorar todos os chineses que moram no Brasil. Tratar essa corja com o máximo desprezo para que retornem para aquele país satânico. Que iniciem uma guerra civil, e alto se destruam.

  2. Esse monte de bosta amarela está com a bola toda. Ainda mais agora que a até agora mais poderosa nação do planeta é “presidida”por um velho caquético (e pedófilo, amigão do Omar Azis). Não dou até o final do ano ou no máximo Janeiro/22 para que a China invada Taiwan.

  3. O perigoso PC chinês vai pagar ou não pelo genocídio mundial que fizeram? Aquele tiranos sem limites criaram um crime contra a humanidade, de maneira proposital, sem precedentes.

  4. Fora da bolha da imprensa esquerdista mundial, não resta dúvida de que o SARS-CoV-2, mais conhecido como “novo coronavírus”, foi trabalhado no Laboratório nível 4 de Wuhan como arma de guerra biológica. O que ainda não está estabelecido é se o vírus escapou do laboratório acidentalmente ou se foi liberado intencionalmente dentro de uma estratégia de dominação econômica global. Considerando os atentados ao bom senso e à ciência que ocorreram em escala global após a decretação da pandemia, promovidos pela (venal) imprensa mundial, por organizações políticas de esquerda e por organizações internacionais suspeitas, a hipótese da ação intencional é a mais provável, mesmo que tenha sido implementada simulando uma “inconfessável falha de protocolo de biossegurança”. O resultado, além de milhões de mortos e centenas de milhões de sequelados que oneram os sistemas de saúde, é o achatamento das economias dos países e um aumento súbito da dependência global em relação à indústria chinesa. Vinte anos em dois, para o projeto hegemônico do PCCh.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.