Partido Social-Democrata alemão inicia conversas por coalizão

Líder da legenda, Olaf Scholz já começou a tratar pessoalmente com integrantes do Partido Verde e do Partido Liberal Democrático
-Publicidade-
Olaf Scholz, futuro primeiro-ministro da Alemanha, busca coalizão para formar governo
Olaf Scholz, futuro primeiro-ministro da Alemanha, busca coalizão para formar governo | Foto: Flickr

Depois de uma vitória apertada nas eleições de domingo 26, o Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD) pretende iniciar negociações em torno de um possível governo de coalizão no país.

O líder da legenda, Olaf Scholz, que deve ser o novo primeiro-ministro, já começou a tratar pessoalmente com integrantes do Partido Verde e do Partido Liberal Democrático para que o SPD consiga alinhavar uma base de sustentação no Parlamento.

Leia mais: “Resultados iniciais apontam vitória de social-democratas sobre candidato de Merkel”

-Publicidade-

Apesar de distantes ideologicamente em vários temas, os verdes e os liberais democráticos sinalizaram que podem buscar “pontos de consenso” para dar sustentação a um governo social-democrata.

Rolf Muetzenich, líder parlamentar do SPD, comemorou a iniciativa de diálogo entre as duas forças políticas. Segundo ele, as chances de um governo tripartite são significativas. “Seria bom se eles também se concentrassem em se reunir conosco nesta semana para conversas exploratórias”, afirmou Muetzenich à imprensa alemã.

Leia também: “Eleições na Alemanha encerram 16 anos da ‘era Merkel’”

Nas redes sociais, Scholz, o provável futuro premiê, fez questão de demonstrar otimismo. “Estou confiante. Conseguiremos formar uma coalizão com pragmatismo e prontidão para cooperar”, escreveu.

Partido mais antigo da Alemanha, o SPD obteve quase 26% dos votos na eleição alemã, 5 pontos porcentuais a mais do que no pleito de 2017. A União Cristã Democrata (CDU), partido da chanceler Angela Merkel, teve apoio de pouco mais de 24% dos eleitores.

As eleições na Alemanha encerram um período de 16 anos de governo de Merkel, que comanda o país desde 2005. Ela teve quatro mandatos consecutivos.

Leia também: “PIB da Alemanha cresce 1,6% no 2º trimestre”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.