Polícia de Seattle expulsa manifestantes de extrema esquerda de área invadida

A polícia finalmente expulsou os manifestantes de extrema-esquerda que formaram uma comunidade autônoma em Seattle, o CHAZ
-Publicidade-
Foto: Derek Simeone/Wikimedia
Foto: Derek Simeone/Wikimedia | Seattle CHAZ

A decisão foi tomada em razão dos repetidos episódios de violência praticados pelo grupo conhecido como Capitol Hill Autonomous Zone (CHAZ)

Seattle CHAZ
Foto: Derek Simeone/Wikimedia

Após quatro semanas de caos, a polícia de Seattle, na costa oeste dos Estados Unidos, liberou uma área da cidade invadida por grupos extremistas de esquerda.

-Publicidade-

O Capitol Hill Autonomous Zone (CHAZ) surgiu após manifestantes expulsarem as forças policiais de uma área com seis quarteirões que conta com o parque.

“Nosso trabalho é apoiar manifestações pacíficas”, afirmou a chefe de polícia da cidade, Carmen Best.  “O que aconteceu aqui nessas ruas nas últimas semanas é ilegal, é brutal e inaceitável”, disse Carmen.

Veja também: “‘Parem de nos tratar como animais ou bandidos’, pediu chefe do sindicato de policiais de Nova York”

Nesta quarta-feira, a prefeita de Seattle, Jenny Durkan, pediu que a polícia evite fazer acusações criminais contra qualquer um que seja preso na zona onde ficava o CHAZ. Ela afirmou que a cidade foi forçada a tomar essa decisão em razão dos repetidos episódios de violência.

A liderança de Seattle, que é largamente progressista, tentou primeiramente se aproveitar dos protestos para melhorar a própria imagem. Em 2012, o Departamento de Justiça acusou a polícia de Seattle de ser muito violenta e exigiu que ela passasse por reformas. Carmen Best, a primeira mulher negra a comandar a polícia da cidade, assumiu o posto em 2018.

Violência e caos no CHAZ

Ao longo das semanas em que os quarteirões de Capital Hill ficaram sem a presença da polícia, os casos de violência tornaram-se muito frequentes. Durante o período de anarquia, foram registrados cinco tiroteios. O FBI registrou  65 incidentes na região no mês de junho, contra 35 no mesmo período do ano passado.

Os manifestantes que estavam instalados no CHAZ exigiam, entre outras demandas, a abolição do Departamento de Polícia de Seattle, de todo o sistema de Justiça, faculdade e habitação gratuita e a proibição do uso de armas por forças policiais.

Mais: “Crimes e violência marcam as ‘manifestações’ nos EUA”

Conforme informou o The Seattle Times, a porta-voz da Casa Branca, em nome do presidente Trump, comemorou o fim do CHAZ. “A anarquia é algo antiamericano, lei e ordem são essenciais, a paz em nossas ruas foi assegurada”, concluiu.

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Absurda condição dessa anarquia..nenhuma sociedade caminha sem. Ordem. Esses similares do antifas querem o caos. EUA não permitirá isso. Aqui no Brasil a firmeza também tem que ser a marca .contra o vandalismo.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.