Presidente da Argentina decide fechar a fronteira do país

Alberto Fernández alega que a medida extrema é para conter o avanço do coronavírus
-Publicidade-
| Foto: Divulgação/Twitter/Alberto Fernández
| Foto: Divulgação/Twitter/Alberto Fernández | | Foto: Divulgação/Twitter/Alberto Fernández

Alberto Fernández alega que a medida extrema é para conter o avanço do coronavírus

presidente da argentina
Só poderão entrar no país os próprios argentinos e os estrangeiros residentes | Foto: Divulgação/Twitter/Alberto Fernández

O presidente Alberto Fernández determinou o fechamento da fronteira da Argentina. A medida focaliza em turistas do Brasil, do Uruguai, do Paraguai, da Bolívia e do Chile, únicos que receberam permissão para entrar no país dos hermanos desde 2 de novembro. “Fica suspenso o projeto-piloto que autorizou a entrada de turistas provenientes dos países limítrofes tanto pelo terminal aéreo (Buenos Aires) quanto pelo portuário (turistas uruguaios, especificamente)”, estabelece o decreto do Poder Executivo, assinado na sexta-feira 25. Também a medida abrange viagens terrestres. As novas regras valem até o dia 8 de janeiro, quando serão reconsideradas pela gestão Fernández-Kirchner.

-Publicidade-

Só poderão entrar no país os próprios argentinos e os estrangeiros residentes. Mesmo assim, deverão obedecer a dois requisitos: um exame PCR negativo e uma quarentena obrigatória de sete dias, ainda que o resultado do exame não dê positivo para o vírus chinês. Além disso, todos os voos de origem ou destino que envolvem Itália, Reino Unido, Dinamarca, Países Baixos e Austrália ficam suspensos. Fernández garante que as restrições estão relacionadas “à nova cepa do coronavírus” que surgiu na Europa. As exceções às medidas são os diplomatas, funcionários públicos, “pessoal essencial”, pessoal relacionado ao transporte de carga internacional e atletas para eventos específicos.

Leia também: A agonia de Puerto Iguazú e o drama dos argentinos que comeram frango estragado

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 comentários

  1. O sujeito fez o lockdown mais longo e severo do mundo, e o resultado foi um aumento de casos que colocou a Argentina à frente do Brasil em mortes por milhão de habitantes. Diante de tal fracasso, qual era a do poste da Kirchner? Mudar o plano de ação? Não. O xiita do lockdown insiste nas mesmas medidas desastradas. Pobre Argentina.

  2. Pela arrogância e soberba, esse é um povo que está fazendo por merecer a crise financeira e os frutos de um loockdown burro que já se provou inócuo!
    Argentinos e paulistas se igualam na aceitação calada imposta por seus déspotas!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site