Procuradoria da Bolívia denuncia ex-presidente Jeanine Áñez por genocídio

Ex-comandante interina do país está presa desde março, acusada de sedição, terrorismo e conspiração
-Publicidade-
Ex-presidente da Bolívia Jeanine Áñez continua presa e agora pode responder por mais crimes
Ex-presidente da Bolívia Jeanine Áñez continua presa e agora pode responder por mais crimes | Foto: Reprodução/Twitter/Jeanine Áñez

Presa desde março deste ano, a ex-presidente da Bolívia Jeanine Áñez foi denunciada nesta sexta-feira, 20, pela Procuradoria-Geral do país por uma série de crimes, entre os quais genocídio.

A denúncia se refere ao comportamento da então chefe de Estado durante manifestações da antiga oposição, em 2019. Na ocasião, dezenas de pessoas morreram em atos que foram marcados por violência, vandalismo e confrontos com a polícia.

Reportagem especial: “Bolívia: revanche da esquerda tem prisões políticas e perseguição a opositores”

-Publicidade-

Apesar da denúncia do Ministério Público boliviano, a decisão sobre um possível julgamento de Áñez será tomada pelo Congresso do país — hoje completamente controlado pelo Movimento ao Socialismo (MAS), partido do presidente Luis Arce e de seu mentor político, Evo Morales.

Leia também: “Parlamentares bolivianos trocam socos e chutes em sessão do Congresso; assista”

Se for julgada e condenada por genocídio, Áñez poderá pegar uma pena de mais 20 anos de prisão. No mês passado, a Justiça boliviana negou um pedido de soltura apresentado pela defesa da ex-presidente, que segue detida, acusada de sedição, terrorismo e conspiração.

Leia mais: “Ex-ministros de Jeanine Áñez pedem sua libertação e denunciam ‘tratamento desumano’”

As autoridades do país acusam a ex-chefe do governo boliviano de ter promovido um golpe de Estado para afastar do poder o líder cocaleiro Evo Morales, que renunciou ao cargo em novembro de 2019. Áñez foi alvo de um mandado judicial que determinava sua prisão preventiva, que vem sendo prorrogada indefinidamente. Como Oeste mostrou em reportagem especial publicada no dia 18 de maio, a Bolívia vive um momento de tensão política.

Leia também: “‘Veremos um choque entre o castrochavismo e a democracia’, diz ex-ministro boliviano sobre Lula x Bolsonaro”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários

  1. É a mesma estratégia que a esquerda usa aqui, acusam Bolsonaro de genocídio por não poderem acusar de corrupção. Sorte que nosso congresso ainda não está totalmente controlado pelos vermelhinhos! Já o $TF, esse está vermelhinho vermelhinho!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro