-Publicidade-

Projeto para dar cidadania a 11 milhões de imigrantes ilegais chega ao Congresso dos EUA

Proposta foi apresentada pela deputada democrata Linda Sánchez, da Califórnia
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden | Foto: Reprodução/Instagram

A proposta de anistia e legalização para cerca de 11 milhões de imigrantes que vivem ilegalmente nos Estados Unidos foi apresentada ontem, quinta-feira 18, ao Congresso norte-americano. A expectativa é que as votações para sua aprovação comecem na próxima semana. Batizado de Lei de Cidadania dos Estados Unidos – 2021, o projeto foi uma das promessas de campanha do atual presidente Joe Biden. A reforma imigratória no país é um assunto que vai exigir muita articulação política em um Congresso extremamente dividido entre democratas e republicanos.

“Se essa comunidade de 11 milhões de pessoas indocumentadas for legalizada, existe grande chance de que muitos deles passem a votar a favor dos democratas nas próximas eleições, e isso certamente não interessa aos congressistas republicanos”, declarou Felipe Alexandre, advogado de imigração que atua há mais de dez anos com processos de vistos e green cards para imigrantes nos EUA.

Ainda, para o advogado, a aprovação da lei pode demorar e será um grande desafio legislativo para o novo governo norte-americano. “Muitas leis de imigração aprovadas nos últimos anos atendiam aos desejos do Partido Republicano. Portanto é muito provável que a votação dessa proposta seja bem lenta e sofra diversas alterações até a definição de seu texto final”, explica Alexandre.

O projeto foi apresentado na Câmara pela deputada democrata Linda Sánchez, da Califórnia, e prevê, entre outros pontos, diminuir obstáculos burocráticos e expandir a imigração legal com base em laços familiares, emprego, carreira ou investimento nos Estados Unidos.

Brasileiros ilegais nos Estados Unidos

Cerca de 1 milhão de brasileiros residem nos Estados Unidos, e estima-se que pelo menos 300 mil deles tenham entrado ou permanecido de forma ilegal no país, segundo dados divulgados pelo Itamaraty em 2017.

Leia também: “Estados Unidos pagarão US$ 200 milhões à OMS”

 

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês