Protestos deixam 166 mortos na Etiópia

Conflitos étnicos após o assassinato de um famoso cantor deixaram mais de 166 mortos na Etiópia, um país com mais de 100 milhões de habitantes na África
-Publicidade-
bandeira da Etiópia | Foto: Hoshvilim/Wikimedia
bandeira da Etiópia | Foto: Hoshvilim/Wikimedia | Etiópia

As manifestações são consequência da morte de famoso cantor da Etiópia Hachalu Hundessa; mais de 1000 pessoas foram presas pela polícia

Etiópia
bandeira da Etiópia | Foto: Hoshvilim/Wikimedia

Conflitos étnicos após o assassinato de um famoso cantor deixaram mais de 166 mortos na Etiópia, um país com mais de 100 milhões de habitantes na região do Chifre da África.

-Publicidade-

Veja também: “Aumento de casos do coronavírus preocupa a África”

Hachalu Hundessa era um famoso cantor e considerado um herói na sua região natal, Oromia. A sua morte, que permanece um mistério, causou revolta na população, que se sente oprimida pelo governo.

De acordo com a rede de televisão britânica BBC, 1.084 pessoas que participaram das manifestações acabaram sendo presas.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.