Putin deve fazer primeira viagem ao exterior desde o começo da guerra na Ucrânia

Presidente russo vai visitar dois ex-Estados soviéticos na Ásia Central
-Publicidade-
Presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto: Reprodução/Kremlin
Presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto: Reprodução/Kremlin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, deve visitar dois ex-Estados soviéticos na Ásia Central nesta semana, segundo informou a rede de televisão estatal russa neste domingo, 26. A viagem seria a primeira visita do líder russo ao exterior desde que ordenou a invasão da Ucrânia.

Pavel Zarubin, correspondente do Kremlin da estação de televisão estatal Rossiya 1, disse que Putin visitará o Tajiquistão e o Turcomenistão e depois se encontrará com o presidente da Indonésia, Joko Widodo, para conversas em Moscou.

Em Dushanbe, capital do Tajiquistão, Putin se encontrará com o presidente tadjique Imomali Rakhmon, aliado da Rússia e o governante mais antigo de um Estado soviético. Em Ashgabat, capital do Turcomenistão, ele participará de uma cúpula de nações do Cáspio, incluindo os líderes do Azerbaijão, Casaquistão, Irã e Turcomenistão, declarou Zarubin.

-Publicidade-

A última viagem noticiada de Putin foi uma visita à China, onde se encontrou com o presidente chinês Xi Jinping para celebrar um tratado de amizade “sem limites”. Eles compareceram à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno.

Com informações do Estadão Conteúdo e agências internacionais

Encontro do G7

Neste domingo, 26, os líderes do grupo das sete nações mais desenvolvidas do mundo — Alemanha, Canadá, França, Itália, Japão, Reino Unido e EUA — reúnem-se em Schloss Elmau, na Alemanha, para discutir novas sanções contra Moscou e medidas para reduzir os impactos econômicos da guerra.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse que irá pedir mais assistência militar na cúpula do G7, perante o que chamou de “chuva de mísseis” russos.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, lançou uma iniciativa global de infraestrutura para conter a influência da China no mundo. A medida visa a alavancar US$ 600 bilhões em financiamento dos EUA, doações e do setor privado nos próximos cinco anos — assim como arrecadar uma quantia semelhante dos países membros do G7.

Biden condenou as ações da Rússia como “mais de sua barbárie” e reforçou a necessidade de os aliados permanecerem firmes, mesmo com todos os impactos na economia global.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Putin viaja, despreocupado, pois as suas tropas estão avançando na Ucrânia, já o ator ucraniano, pensando em si mesmo e deixando a população ucraniana fugindo do país para poder sobreviver, quer mais armas e dinheiro da ONU, sem se preocupar que a sua atitude pode provocar uma guerra mundial, além de fome e frio no resto da Europa, quando o inverno chegar. Ele sabe que não irá vencer, mas quer levar o povo ao máximo sofrimento. Hitler fez isso, Pol Pot fez isso, além de outros presunçosos.

    Repito que não tenho lado, ao contrário da grande maioria da mídia mundial, mas tanto o atual presidente da Ucrânia, como a ONU/UE, poderiam ter evitado essa guerra, já que Putin desde o ano passado, avisava sobre o perigo de uma guerra eminente.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.