Remdesivir reduz mortes em pacientes internados com covid-19

É o que apontam estudos do laboratório norte-americano Gilead Sciences
-Publicidade-
Remdesivir pode ser mais uma arma contra o vírus chinês
Remdesivir pode ser mais uma arma contra o vírus chinês | Foto: Reprodução/Mídias Sociais

O laboratório norte-americano Gilead Sciences anunciou ontem, quinta-feira 24, o resultado de três estudos que associam o antiviral remdesivir à redução de mortalidade de pessoas hospitalizadas com covid-19. Ao todo, foram analisados 98.654 pacientes de dez países.

Em entrevista concedida à CNN, o diretor associado da farmacêutica, Eric Bassetti, explicou que uma das pesquisas analisou pacientes da Bélgica, Alemanha, Hong Kong, Itália, Singapura, Coreia do Sul, Espanha, Taiwan, Reino Unido e Estados Unidos, enquanto os outros dois trabalhos foram conduzidos apenas na terra do Tio Sam.

Análise realizada nos dez países

-Publicidade-

A análise realizada nos dez países acompanhou 1.974 pacientes que tomaram o remdesivir e 1.426 que não ingeriram o remédio — o estudo durou de 6 março a 30 de maio de 2020. Durante esse período, foi identificada a redução de mortalidade em 54% das pessoas medicadas com o antiviral, no 28º dia.

Estudos conduzidos nos Estados Unidos

No caso dos estudos realizados nos EUA, os períodos de análise e observação foram diferentes.

O primeiro, ocorrido de 1º de maio de 2020 a 3 de maio de 2021, comparou 24.856 pacientes hospitalizados que receberam remdesivir com o mesmo número de pacientes que não ingeriram o medicamento. Foi identificada redução de mortalidade de 23% no grupo em que o antiviral foi administrado, no 28º dia.

O segundo estudo comparou 27.559 pacientes tratados com remdesivir com o mesmo número de pacientes que não tomaram o medicamento. Nesse caso, porém, as observações foram feitas em dois períodos: no 14º e no 28º dia. No 14º dia, vieram a óbito 9,6% dos pacientes que tomaram o remdesivir, contra 14% dos que não tomaram. No 28º dia, por sua vez, morreram 13,8% dos pacientes que receberam remédio, contra 17,3% do que grupo que não recebeu.

Remdesivir

O remdesivir foi aprovado ou autorizado para uso temporário como tratamento contra a covid-19 em mais de 40 países. No Brasil, obteve a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 12 de março de 2021. Trata-se do primeiro antiviral a ser recomendado em bula para pacientes com covid-19 no país.

Ainda assim, o remdesivir não deve ser vendido em farmácias. O medicamento é indicado tão somente para uso hospitalar, situação em que os pacientes podem ser monitorados por equipe médica. O antiviral não está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).

Leia também: “Os próximos passos do soro anticovid desenvolvido pelo Butantan”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Interessante, o laboratório Gilead
    americano atesta que o remdesivir é eficaz. E a indústria farmacêutica que produz esse medicamento chama se…Gilead.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site