Rússia culpa sanções dos EUA por possível calote em dívida externa

Moscou precisa pagar ainda nesta quarta-feira, 16, US$ 117 milhões em juros de um título emitido dólar
-Publicidade-
Vladimir Putin, o presidente da Rússia
Vladimir Putin, o presidente da Rússia | Foto: Reprodução/Flickr

O ministro das Finanças da Rússia, Anton Siluanov, disse no último domingo, 13, que as sanções dos Estados Unidos serão responsáveis por eventual calote russo em sua dívida externa. O Kremlin é obrigado a pagar US$ 117 milhões em juros de um título emitido em dólar, com vencimento nesta quarta-feira, 16.

Se não honrar o pagamento, será a primeira vez que a Rússia voltará ao grupo dos inadimplentes desde 1917, quando os bolcheviques não reconheceram a dívida do período czarista. Os títulos têm um período de carência de 30 dias, de modo que a inadimplência oficial não poderá ser declarada até 15 de abril. Nem mesmo na crise das dívidas dos anos 1990, quando a economia russa quebrou, o país entrou em moratória externa.

“A possibilidade ou impossibilidade de cumprir nossas obrigações em moeda estrangeira não depende de nós”, ressaltou Siluanov, em entrevista à rede de televisão estatal Russia Today. “Temos o dinheiro, realizamos o pagamento. Agora, a bola está do lado das autoridades norte-americanas.

-Publicidade-

A curiosidade nessa história é a seguinte: a Rússia possui o dinheiro, mas não pode acessá-lo. Desde 2014, a última vez em que os EUA impuseram sanções a Moscou, o Kremlin acumulou mais de US$ 600 bilhões em reservas estrangeiras. No entanto, o montante está parcialmente bloqueado.

Leia também: “Calote russo não é improvável, diz FMI”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.