Rússia vai registrar 1ª vacina do mundo contra a covid-19

Sob suspeita de ataque hacker contra pesquisas de outros países, governo russo projeta início da vacinação em massa em outubro
-Publicidade-
Presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto:  Wikimedia Commons
Presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto: Wikimedia Commons

Sob suspeita de ataque hacker contra pesquisas de outros países, governo russo projeta início da vacinação em massa em outubro

Vladimir Putin
Presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto: Wikimedia
-Publicidade-

A Rússia irá conceder o registro para a primeira vacina contra o novo coronavírus na próxima quarta-feira, 12 de agosto.

O anúncio foi feito pelo vice-ministro da Saúde do país, Oleg Gridnev, nesta sexta-feira, 7. Profissionais de saúde e idosos terão prioridade na imunização.

O Instituto Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia, localizado em Moscou, está trabalhando em uma vacina baseada em tipo de vírus chamado adenovírus. Nesta tecnologia, parte do vírus é coletada e modificada geneticamente para produzir proteínas do coronavírus.

Na semana passada, Tatiana Golikova, vice-primeira-ministra da Rússia, afirmou que o imunizante teria registro com a condição de “outro ensaio clínico para 1.600 pessoas ser realizado” em seguida.

O ministro da Saúde da Rússia, Mikhail Murashko, anunciou que o programa do governo de vacinação em massa está previsto para começar em outubro.

LEIA MAIS: Acusada de tentativa de roubo de dados, Rússia produzirá vacina em massa este ano

A velocidade dos ensaios clínicos e a falta de transparência na divulgação dos resultados geram dúvidas dos especialistas.

Natalia Pasternak, pesquisadora do Instituto de Ciências Biomédicas da USP e presidente do Instituto Questão de Ciência, lembra que as pesquisas russas não foram divulgadas em nenhuma publicação científica.

Em abril, o presidente russo, Vladimir Putin, instruiu o governo a tomar decisões destinadas a simplificar e encurtar o prazo para os ensaios clínicos e pré-clínicos.

Em maio, a Associação de Organizadores de Pesquisas Clínicas criticou a Rússia logo que se descobriu que os cientistas do Instituto Gamaleya haviam se inoculado com algumas doses quando a vacina ainda estava em fase de testes em animais.

Com informações do Estadão Conteúdo.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.