Sinovac subornou autoridades para aprovação de vacinas, diz jornal

De acordo com a publicação, CEO da empresa assumiu ter repassado mais de US$ 83 mil em propina para funcionária de agência reguladora chinesa
-Publicidade-
Ministério da Sapude anuncia a compra de 46 milhões de doses da Coronavac | Foto: Divulgação/Governo do Estado de são Paulo
Ministério da Sapude anuncia a compra de 46 milhões de doses da Coronavac | Foto: Divulgação/Governo do Estado de são Paulo | ministério da saúde, coronavac, vacina, covid-19, eduardo pazuello

De acordo com o ‘Washington Post’, o CEO da empresa assumiu ter repassado mais de US$ 83 mil em propina a funcionário da agência reguladora chinesa

Saúde, Covid-19, China, Sinovac
Sinovac é uma das empresas que desenvolveram a vacina para covid-19 | Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

A empresa chinesa Sinovac, desenvolvedora da vacina para covid-19 que será produzida no Brasil em parceria com o Instituto Butantan, envolveu-se em casos de suborno ao governo chinês. A informação foi revelada nesta sexta-feira, 4, em reportagem do jornal americano Washington Post.

-Publicidade-

Leia também: “China omitiu e minimizou covid-19, revelam documentos”

A publicação, baseada em registros de tribunais chineses, informa que o CEO da empresa, Yin Weidong, admitiu ter repassado mais de US$ 83 mil em propina a um funcionário da agência reguladora da China, Yin Hongzhang, e também a sua esposa, entre 2002 e 2011. O caso foi julgado em 2016.

Hongzhang foi condenado e preso em 2017, mas fez acordo com a Justiça chinesa e permaneceu em liberdade. O CEO continua no comando da Sinovac.

Em resposta ao Washington Post, a companhia reconheceu o ocorrido e afirmou ter conduzido auditorias internas e implementado um programa de combate à corrupção nos últimos anos.

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro