Sobe para seis o número de mortes por surto de pneumonia na Argentina

Até agora, são 22 casos da doença, causada por uma bactéria encontrada na água e no ar
-Publicidade-
Hospital Luz Médica, onde os casos foram detectados | Foto: Divulgação/MS Tucumán
Hospital Luz Médica, onde os casos foram detectados | Foto: Divulgação/MS Tucumán

Boletim do Ministério da Saúde Nacional da Argentina divulgado na segunda-feira 5 informa que seis pessoas morreram em decorrência de uma pneumonia bilateral descoberta na semana passada. Até agora, são 22 casos.

Exames feitos pela Administração Nacional dos Laboratórios e Institutos de Saúde (ANLIS) a partir de amostras coletadas nos pacientes revelaram que se trata de uma pneumonia rara, causada por uma bactéria chamada legionela, cujo nome científico é Legionella pneumophyla.

Todos os casos foram registrados em um hospital particular, o Luz Médica, em San Miguel do Tucumán, capital da Província de Tucumán, no noroeste do país. Dos 22 infectados, 11 são funcionários do hospital.

-Publicidade-

Uma equipe da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), que integra a Organização Mundial da Saúde (OMS), foi escalada para acompanhar as investigações na Argentina. O ministério da Saúde Nacional informou que compartilhou informações com o Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

Com a descoberta da causa da doença, o ministro da Saúde de Tucumán, Luis Medina Ruiz, disse que houve alteração no critério para classificar os casos e que a pneumonia bilateral não será determinante para incluir um paciente como vítima da legionela. “Hoje, sabendo que se trata de uma bactéria que nem sempre causa pneumonia bilateral, estamos incluindo qualquer profissional de saúde, paciente ou cuidador familiar que tenha estado no mês de agosto ou tenha recebido intervenção cirúrgica neste hospital privado e que apresente algum sintoma compatível como febre ou sintomas respiratórios, e não necessariamente pneumonia bilateral”, afirmou, em nota.

A legionela está na água e no ar

A bactéria legionela pode ser encontrada na natureza, em ambientes com água doce, como rios e lagos, mas também pode ser disseminada em tubulações de água ou em dutos de ar-condicionado, de acordo com informações do ministério argentino.

No caso de Tucumán, a ministra da Saúde Nacional, Carla Vizzotti, afirmou que a segunda hipótese seria mais provável, já que todos os doentes passaram pelo mesmo hospital. Ainda de acordo com as autoridades de saúde argentinas, a doença não é transmitida diretamente entre as pessoas.

A pneumonia causada pela legionela provoca febre e infecção pulmonar aguda e pode ser fatal em pacientes mais velhos, com comorbidade ou com o sistema imunológico enfraquecido. Uma das maneiras de prevenção é consumir água potável e limpar regularmente filtros e tubulações de água e ar.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.