Terrorista é morto na Nova Zelândia após esfaquear 6 em supermercado

Ato foi classificado como terrorismo pelo governo; homem agiu sozinho, inspirado pelo Estado Islâmico
-Publicidade-
Polícia isola área próxima ao local em que terrorista esfaqueou seis pessoas em Auckland, na Nova Zelândia
Polícia isola área próxima ao local em que terrorista esfaqueou seis pessoas em Auckland, na Nova Zelândia | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Um homem que esfaqueou seis pessoas em um supermercado de Auckland, na Nova Zelândia, foi morto a tiros pela polícia local nesta sexta-feira, 3. As autoridades do país classificaram o ato como terrorismo, e, segundo a primeira-ministra neozelandesa, Jacinda Ardern, as primeiras informações revelam que o homem agiu sozinho, mas inspirado pelo Estado Islâmico.

Segundo a chefe do governo do país, o criminoso era um cidadão do Sri Lanka que estava na Nova Zelândia desde 2011 e vinha sendo monitorado pelas forças de segurança havia pelo menos cinco anos. Sua identidade não foi divulgada até o momento.

Leia mais: “General norte-americano diz ser ‘possível’ trabalhar com Talibã contra Estado Islâmico”

-Publicidade-

Das seis pessoas esfaqueadas pelo terrorista, quatro estão em estado grave. “Um extremista violento empreendeu um ataque terrorista contra inocentes na Nova Zelândia. O que aconteceu hoje foi desprezível, odioso e errado”, afirmou a premiê, em pronunciamento oficial.

De acordo com o relato de uma testemunha ouvida pelo jornal New Zealand Herald, o agressor teria gritado “Allahu akbar” (“Deus é maior”, na tradução do árabe) antes de efetuar os ataques. “Ele estava correndo como um lunático. Tudo o que ouvi foram muitos gritos”, afirmou.

Andrew Coster, comissário da polícia local, informou à imprensa que o homem agiu sozinho. Ele vinha sendo seguido por policiais e, por isso, foi possível interromper o ataque “cerca de um minuto após seu início”. “Isso mostra quão de perto o estávamos observando”, disse.

Leia também: “O terror chega a São Paulo”, reportagem de Silvio Navarro publicada na Edição 76 da Revista Oeste

A imprensa neozelandesa noticia que o terrorista tinha 32 anos e era conhecido apenas por “S”. Ele havia sido preso recentemente por supostamente ter planejado outro ataque. O homem é apontado pelas autoridades como um “lobo solitário” — sem relações hierárquicas com grupos terroristas, mas inspirado por eles.

O autor do ataque desta sexta-feira teria comprado facas de caça duas vezes no país. Ele também publicou alguns vídeos na internet com referências ao Estado Islâmico.

Outros ataques

A Nova Zelândia já foi palco de um ataque semelhante em maio deste ano, quando um homem esfaqueou quatro pessoas em um supermercado em Dunedin. Na ocasião, o governo descartou qualquer relação com terrorismo.

Leia também: “Nova Zelândia: agricultores protestam contra o governo”

Em 2019, um atirador matou mais de 50 pessoas em duas mesquitas de Cristchurch. Ele foi condenado à prisão perpétua.

Com informações da agência Reuters

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário

  1. Ué, mas o problema não eram os fuzis de assalto comprados por cidadãos de bem que a imbecil da presidente da Nova Zelândia proibiu? Desarmamentistas são idiotas por natureza.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro