Revista Oeste - Eleições 2022

Tumbas em avenidas de 4,5 mil anos são descobertas na Arábia Saudita

Arqueólogos disseram que "avenidas funerárias" se estendem por milhares de quilômetros nas cidades árabes de Al-Ula e Khaybar
-Publicidade-
Foto: Divulgação / Royal Commission for AlUla
Foto: Divulgação / Royal Commission for AlUla

Os arqueólogos da University of Western Australia descobriram avenidas com 4,5 mil anos repletas de túmulos antigos bem preservados na Arábia Saudita. A descoberta foi possível graças às investigações realizadas com helicóptero, escavação e observação de imagens de satélite. A pesquisa começou em 2021 e o resultado foi publicado na revista científica Holocene em dezembro.

De acordo com a publicação, as “avenidas funerárias” se estendem por milhares de quilômetros nas cidades árabes de Al-Ula e Khaybar, localizadas no noroeste da Arábia Saudita.

“As pessoas que vivem nessas áreas sabem delas há milhares de anos”, disse Matthew Dalton, um dos pesquisadores da Universidade australiana, em nota. “Mas acho que até obtermos as imagens de satélite, os moradores não sabiam quão difundidas elas eram”.

-Publicidade-

Durante as pesquisas, a equipe achou cerca de 18 mil tumbas em formato de pingente ou anel. Os túmulos anelares são formados por pedras cercados por uma parede de até dois metros de altura, enquanto as tumbas de pingentes têm “belas caudas”. Segundo os pesquisadores as rotas foram usadas antes das tumbas.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.